Francisco George comentava a oferta ilegal do medicamento na Internet, onde é vendido a preços muito superiores aos praticados legalmente, ou seja, mediante receita médica e nas farmácias portuguesas.

"O Oseltamivir não deve ser utilizado livremente, uma vez que a sua prescrição é estritamente médica", sendo que "o uso indevido tem como consequência aumentar a probabilidade de surgirem resistências dos vírus ao medicamento", afirmou o responsável.