Leiria, 10 jul (Lusa) -- As grandes superfícies devem ser obrigadas legalmente a vender brinquedos adaptados a crianças com deficiência, que representam dez por cento do universo total de compradores, pediu hoje em Leiria a investigadora académica Célia Sousa.

Na apresentação da 5.ª edição da campanha "Mil brinquedos, Mil sorrisos", que recolhe, adapta e oferece brinquedos a crianças com necessidades especiais, a coordenadora do Centro de Recursos para a Inclusão Digital (CRID), do Instituto Politécnico de Leiria (IPL) sublinhou ser "o momento dos nossos governantes pensarem em mudar a legislação", para que "os pais destas crianças tenham direito a comprar brinquedos adaptados em qualquer superfície comercial da sua zona".

No entanto, presente na cerimónia, o responsável do Instituto Nacional de Reabilitação (INR), José Madeira Serôdio, considerou que "não é necessária legislação, só abertura e sensibilidade" por parte das empresas do setor da distribuição.