Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Dormir na serra

Coração no centro de Portugal

Quer partir à descoberta? Tem tanto por onde escolher. Eis algumas sugestões de alojamentos e restaurantes para explorar a região

Florbela Alves e Joana Loureiro

Retiro bucólico
Entre as serras da Estrela e do Açor, um turismo rural junta o exterior rústico aos interiores, modernos e confortáveis, mas com muita história

Em Alvoco das Várzeas, no concelho de Oliveira de Hospital, reina o sossego. Percorrem-se as ruas estreitas da aldeia e logo se encontra a indicação da Casa de Baixo, um espaço na margem do rio Alvoco, onde pastam livremente cavalos garranos. As antigas casas do caseiro, do séc. XVIII, foram reconstruídas segundo as técnicas originais, com as paredes revestidas a xisto, agora recortadas por amplas vidraças, donde só se avista o verde. Vasco de Campos, engenheiro florestal e proprietário do turismo rural, saiu de Alvoco quando era criança, mas sempre teve vontade de regressar. “Sentia o dever de fazer alguma coisa pelo património que me deixaram”, conta. Há muito dele e dos antepassados naquele espaço. Nas fotografias antigas espalhadas pelas paredes, no poema do avô gravado na sala, no nome dos quartos, segue-se-lhes o rasto e percebe-se como a sua história moldou o sítio. Existem três quartos de casal e quatro twins, modernos e confortáveis. Quem chega, valoriza o silêncio, a paisagem ou a localização privilegiada, entre as serras da Estrela e do Açor (com Piódão a 20 minutos).

Casa de Baixo > R. da Arrifana, 5, Alvoco das Várzeas > T. 238 092 777/ 91 820 4054 > a partir de €100

Enquanto os dias correm
Um turismo rural que se confunde com a paisagem

A viagem para chegar a esta aldeia do concelho de Arganil, Cerdeira, pode até parecer-nos longa, depois de termos serpenteado curvas e mais curvas. Mas quando avistamos a placa indicativa do turismo rural 12 Meses e reparamos na designação “Natura al Mente”, percebemos, de imediato, ao que viemos. Conjugar natureza e mente, paz e espírito, quietude e mente sã. A casa, do luxemburguês Paul Bradtke e da mulher, portuguesa, Margarida Ferreira, abriu em 2015. Tem vista para a serra do Açor e dali quase se vê Sardal, a aldeia onde Margarida passava as férias grandes com os avós. “Era a melhor parte do verão, quando íamos para a praia fluvial de Avô ou para a Fraga da Pena”, recorda. Depois de anos passados na capital, onde possuíam o restaurante 12 Mesas, o casal rumou ao interior para abrir este projeto e “ganhar qualidade de vida”. “Não gosto de viver em cidades, prefiro estar na natureza”, conta Paul, em Portugal há mais de uma década. A decoração da casa e dos quartos – são seis – tem o dedo do luxemburguês, que sempre teve “um fraquinho por design”. A parede do corredor, por exemplo, mistura o burel de Manteigas com a madeira de pinheiro, a fazer lembrar um teclado de piano. As portadas das janelas dos quartos – de onde se avista, desde há pouco tempo, uma piscina, abrem-se para um outro mundo. Como o poema nas escadarias que dão acesso à sala dos pequenos-almoços: “Um dia de cada vez/ enquanto os dias correm/ o silêncio faz tranças com o destino/ De sorriso e ternura.”

12 Meses Turismo Rural > Quinta Fonte da Casa, Cerdeira, Arganil > T. 96 806 8676 > a partir €85 (com pequeno-almoço)

Abrigo na montanha
A Quinta da Geia é um refúgio a 450 metros de altitude, entre as serras da Estrela e do
Açor

Há muito que os holandeses Fir Tiebout e Frenkel de Greeuw escolhiam diferentes locais de Portugal para passar as férias de verão. Apaixonados pelo País, que consideravam “intrigante”, resolveram construir um hotel rural, numa aldeia da região Centro, num local onde outrora existia uma quinta com sete hectares, a Quinta da Geia, famosa pela plantação de morangos. Durante dois anos, deitaram mãos à obra. Idealizaram todo o projeto, conseguiram recuperar uma série de casas de pedra em ruínas e criaram um hotel que é muito mais do que um abrigo, entre as serras da Estrela e do Açor. Aberto há quase 20 anos, possui 19 quartos na casa principal (usada, em tempos, como arrecadação de cereais), além de três apartamentos (dois para seis pessoas e um para quatro). Além de piscina exterior e um spa com massagens de relaxamento, banho turco e jacuzzi. O que levou os dois holandeses a instalarem-se nesta região? “O verde, os vales. Aqui há ar puro, sol, é o sítio ideal para viver”, desabafa Fir Tiebout. Além de oferecer a tranquilidade própria da região, a quinta promove viagens turísticas pela serra do Açor e ao Piódão (aldeia histórica, situada a 17 quilómetros dali) e jantares e almoços temáticos, acompanhados por música ao vivo. Numa região conhecida pelas suas iguarias, aprecie-se o pequeno-almoço com pão cozido em forno a lenha, requeijão, mel e doces. Não deixe de se deliciar, no restaurante da quinta, o João Brandão, com pratos de cozinha portuguesa nos quais se nota a influência espanhola, italiana e francesa, de acordo com as estações do ano.

Quinta da Geia > Largo do Terreiro do Fundo do Lugar, Aldeia das Dez, Oliveira do Hospital > 238 670 010 >
www.quintadageia.com > quartos a partir €79/com pequeno-almoço; apartamentos a partir €129

Desligados do mundo
Com vista para o vale, sem internet, uma casa de campo para acalmar a alma

Se a intenção for desligar do mundo, tomando contacto com a natureza, a Comareira será um dos destinos indicados. A mais pequena aldeia do xisto, situada na serra da Lousã, a 12 quilómetros de Góis, possui um imenso vale verde que se avista do terraço da Casa de Campo da Comareira. Desde 2005 que esta antiga habitação da aldeia se transformou num projeto de turismo da natureza. Propriedade da autarquia de Góis e gerida pela Lousitânea – Liga de Amigos da Serra da Lousã, é uma espécie de refúgio dos tempos modernos. Só há pouco tempo e por insistência de alguns hóspedes (vá-se perceber...) ganhou uma televisão no quarto Toca da Raposa, o maior, mas continua sem wi-fi e não é fácil conseguir rede para aceder à internet. Os três quartos da casa – no segundo piso, com sala de estar, está o Toca da Raposa e, no andar de baixo, ficam o Ninho da Coruja e o Prado do Corço – incluem equipamentos de cozinha, o que não impede que, todas as manhãs, ali cheguem pequenos-almoços. Lá fora, são muitas as propostas no meio da natureza: percursos pedestres da Comareira às três outras Aldeias do Xisto do concelho de Góis (Aigra Nova, Aigra Velha e Pena), visita aos núcleos de interpretação ambiental dedicados às tradições locais, à fauna e flora da serra da Lousã, e, ainda, ao gado asinino (dois burros mirandeses, o Golias e o Gaitano estão disponíveis para passeios).

Casa de Campo da Comareira > Comareira > Góis > T. 235 778 644/ 96 984 7852 > €45 a €60

Quer natureza?
A Quinta da Palmeira é um retiro às portas das Aldeias do Xisto

O holandês Jack Brouns palmilhou a Croácia, quase de lés a lés, e passou por Espanha à procura de um lugar para abrir um negócio turístico. Sem sucesso. Acabaria por viajar para Portugal, rumo ao interior centro, à procura do tal “lugar de sonho”. “Cheguei num dia de muito mau tempo e, de repente, vi esta casa à venda. Pensei: é mesmo esta”, conta. A Quinta da Palmeira – como se chamava este lugar que pertenceu à família do ator Sinde Filipe e inclui uma casa senhorial de 1890 – foi recuperada, reconvertendo-se numa unidade de turismo de habitação de quatro estrelas aberta em 2011. Cá fora, junto à piscina, sobressai a pedra e as paredes de xisto, a lembrar a proximidade com a aldeia do Piódão (a 21 quilómetros). O exterior, rodeado de verde, é, aliás, um dos maiores cartões de visita. A aldeia de Cerdeira, onde se situa, fica a seis quilómetros de Benfeita, uma outra aldeia do xisto da zona de Arganil. E, no pátio, ainda se encontra a palmeira com 160 anos que deu nome à quinta. Os oito quartos (seis duplos, um single, e um apartamento para quatro pessoas, equipado com cozinha e sala de estar) destacam-se pelas dimensões (35 m2 a 40 m2) e decoração com diferentes cores e conceitos. Pode relaxar na sala de estar ou almoçar/jantar no restaurante, que aposta em pratos de cozinha tradicional. Ao pequeno-almoço há frutas do pomar da quinta (laranjas, figos, limões, ameixas, peras ou maçãs). Com vista para a serra do Açor e perto da Estrela, esta unidade de turismo de habitação está próxima de belezas naturais como a Mata da Margaraça e as cascatas da Fraga da Pena.

Quinta da Palmeira Country House > R. Principal, 36, Cerdeira, Arganil T. 235 728 125/ 91 101 7455 > a partir €129 (pequeno-almoço incluído)

Que mundo maravilhoso
No mais recente cinco estrelas da região, a água e a natureza estão de mãos dadas

Lembra-se de What a Wonderful World, de Louis Armstrong? É nessa música que pensamos quando percorremos o Aqua Village Health Resort & Spa, em Caldas de S. Paulo, a oito quilómetros de Oliveira de Hospital, região bendita em praias fluviais. Ali só se escutam os pássaros e as águas do Alva. A água é, de resto, o fio condutor de todo o hotel. Um poço de águas termais abastece a piscina interior e acompanha vários tratamentos do Spa Sensations. Há ainda outras duas piscinas no exterior, uma delas de água quente e semicoberta.


Este hotel de cinco estrelas é, na verdade, mais do que um hotel. Quase parece uma casa com um serviço cinco estrelas, tão bem que nos sentimos nos 29 apartamentos (20 T1 e nove T2), divididos por quatro blocos e ainda na suíte/moradia de três andares. Sente-se o aconchego de uma casa, com sala e cozinha equipadas, uma varanda para olhar a paisagem e mimos doces à espera de quem entra. É esta a filosofia do mentor do projeto, Francisco Cruz: “Tirar partido do território sem o deteriorar.” No restaurante Roots, aposta-se numa cozinha de autor feita com produtos endógenos da região (inesquecível, a sopa de morangos com sorvete de poejo que provámos à sobremesa). As cores terra, a cortiça e a madeira maciça envelhecida estão por todo o lado. Na margem do rio, dentro da propriedade do hotel, passeia-se entre oliveiras, choupos e freixos. É possível andar de bicicleta pela região, junto aos rios Alva e Alvoco, com moinhos e noras de água pelo caminho. Que mundo maravilhoso...

Aqua Village Health Resort & Spa > Caldas de S. Paulo, Oliveira do Hospital > T. 238 249 040 > a partir €149 (pequeno-almoço incluído)

SERRA DO AÇOR

inXisto Lodges
Rodeadas pelas serras do Açor e Estrela, casas de arquitetura contemporânea, mas usando as tradicionais técnicas de construção com xisto.
Chãs d’Égua, Piódão > T. 96 708 1988 > a partir €90

Campus Natura
Turismo rural com cinco quartos, respeitando as construções em xisto.
R. de Baixo, Folques, Alqueve > T. 91 942 0412/ 91 931 4203 > a partir €65

SERRA DA LOUSÃ


Vale do Ninho
Nature Houses

Três antigos estábulos reconvertidos em casas, construídas com a pedra local, interior revestido a cortiça e pinho, painéis solares nos telhados, com piscina exterior e várias particularidades como sabonetes artesanais feitos com azeite da zona.
Ferraria de São João, Penela > 91 904 8373 > a partir €120/com pequeno-almoço

Hotel Parque
Serra da Lousã

Unidade de quatro estrelas, inserida no Parque Biológico da Serra da Lousã, com 40 quartos, restaurante, piscina interior, Spa, ginásio e várias áreas de lazer.
Parque Biológico da Serra da Lousã, Miranda do Corvo T. 239 095 054 > a partir €75 (com pequeno-almoço)

Talasnal Montanha de Amor
O projeto de Filipa Almeida, professora de Português, e do marido, Joaquim Lourenço, empresário, nasceu há oito anos com a Casa do Forno. Depois dessa, sucedeu-se a recuperação de mais cinco casas de xisto com mais de 300 anos: a Casa do Ti Dinis, a Casa da Ti Rosário (ambas com eira privada, onde antes se secavam os cereais), a Casa da Ti Jaquinita, a Casa do Cimo e a Casa do Ti Paulo. As casas, totalmente equipadas com cozinha e acessórios, têm capacidade para três e seis pessoas. Para o ano deverá surgir mais uma, a Casa do Senhor Prior, e, daqui a uns meses, uma taberna típica portuguesa: a Taberna da Ti Filipa, que se junta à loja de artesanato com o mesmo nome.
Talasnal, Lousã > T. 92 609 5207/ 91 821 2523 > a partir €65/duas pessoas

Palácio da Lousã Boutique Hotel
O edifício brasonado do séc. XVIII, no centro da Lousã, foi transformado para acolher uma unidade de quatro estrelas, com 46 quartos, divididos entre uma ala antiga e outra moderna. Ideal para quem quiser ter a Lousã como base para descobrir toda a região, com o conforto de um hotel urbano de 4 estrelas.
R. Viscondessa do Espinhal, Lousã > T. 239 990 800 > a partir de €70 quarto duplo

Cerdeira Village
Oito casas de xisto na aldeia de Cerdeira, enquadradas pela serra da Lousã, foram cuidadosamente reconstruídas. No total, podem albergar até 32 pessoas. Há várias oficinas artísticas à disposição dos hóspedes.
Cerdeira, Lousã > T. 91 178 9603 > a partir de €70

ZÊZERE


Villa Pampilhosa Hotel
Situado próximo das aldeias do xisto de Fajão, Janeiro de Baixo e Janeiro de Cima, é um hotel moderno de quatro estrelas, sobranceiro ao centro de Pampilhosa da Serra, com 52 quartos e spa.
R. Arlindo de Almeida Esteves, Pampilhosa da Serra > T. 235 590 010 > quarto duplo a partir de €59

Convento da Sertã Hotel
O convento do século XVII, transformado num hotel de quatro estrelas há quatro anos, conta com 25 quartos, e uma área de relaxamento. Está situado a 18 quilómetros da aldeia do xisto Pedrógão Pequeno.
Alameda da Carvalha, Sertã > T. 274 608 493 > a partir €100/pequeno-almoço regional buffet incluído

Villa Praia Marina da Praia das Rocas
Dentro do complexo da Praia das Rocas existem seis bungalows, cada um com 12 quartos duplos. Há também um alojamento local, a 12 km do complexo, na aldeia do Coentral.
Pç. Amarela, Castanheira de Pera > T. 236 438 104/ 91 721 3414 > a partir €60 quarto duplo, T2 a partir €100


Casa de Janeiro
Três casas: Casa da Pedra Rolada, Casa de Janeiro e Casa Maria Dias, integradas na aldeia do xisto de Janeiro de Cima.
R. do Espírito Santo, 1, Janeiro de Cima, Fundão, T. 96 933 9830 > a partir €50

TEJO-OCREZA


Casa Ti’Augusta
Situada na aldeia do xisto de Figueira, o projeto de Joana Pereira e da família, nascido há cinco anos, disponibiliza uma casa onde o xisto se junta ao linho e à cortiça. Com dois quartos (um deles, suíte), zona comum com sala de estar e cozinha, tem capacidade para sete pessoas.
Figueira, Proença-a-Nova T. 96 509 9711 > a partir €64/para duas pessoas com pequeno-almoço

Xisto Sentido
Quatro casas, a Alfazema, Rosmaninho, Amores-Perfeitos e Alecrim, todas com quarto duplo e casa de banho, uma delas com sala e outra com cozinha equipada, abertas desde 2015.
R. da Bica, Martim Branco, Almaceda T. 96 888 7857 > a partir €45/pequeno-almoço incluído