Lisboa, 21 ago (Lusa) -- Entre 100 a 120 empresas do setor da construção deverão entrar em 'lay-off' a "curto prazo", afetando cerca de 5.000 trabalhadores, adiantou à agência Lusa o presidente do Sindicato da Construção de Portugal, Albano Ribeiro.

Questionado sobre quais as empresas, o dirigente sindical escusou-se a adiantar os nomes, uma vez que decorrem negociações.

Albano Ribeiro falava após uma reunião com a administração da Tecnovia, empresa que vai avançar com um 'lay-off' (suspensão temporária dos contratos de trabalho) que vai afetar 340 trabalhadores durante seis meses.