O antigo chefe da delegação da União Europeia na Conferência do Rio de 1992, Carlos Borrego, considerou hoje que o "conceito de desenvolvimento sustentável" constituiu o principal legado daquele encontro para as políticas nacionais.

Participando na "Cimeira da Terra" também como ministro do Ambiente de Cavaco Silva, Carlos Borrego faz um balanço "claramente positivo" da Conferência de 1992, nomeadamente pela influência que teve na forma como as questões ambientais passaram a ser avaliadas desde então.

"Pela primeira vez, os decisores políticos dos países incluíram a obrigatoriedade de olhar para o desenvolvimento integrando a perspetiva ambiental, com o conceito de desenvolvimento sustentável. Em consequência, começámos a ver estratégias e planos nacionais para o desenvolvimento sustentável e passou a ser um assunto dominante da política", salientou, em declarações à Lusa.