Numa resposta à agência Lusa a propósito da Vitaldent dos Clerigos, a ERS refere que três das 25 reclamações ainda estão a ser analisadas.

"A todos os reclamantes que expuseram situações deste género foi sugerido que interpusessem ações ou fizessem queixa ao Ministério Público, por se tratar de relações contratuais privadas", esclarece o regulador.

A Ordem dos Médicos Dentistas, por seu lado, entregou na Procuradoria-Geral da República (PGR) uma queixa contra a clínica dentária Vitaldent dos Clérigos, no Porto, por exercício ilegal da profissão.

Segundo o bastonário Orlando Monteiro da Silva, o diretor clínico da Vitaldent dos Clérigos não tem qualificações para exercer o cargo por não ser médico dentista nem médico estomatologista.

"Estamos muito preocupados com esta situação e entregámos há cerca de duas semanas na PGR da comarca do Porto uma queixa. Além de exercício ilegal da profissão estamos preocupados com estas práticas comerciais agressivas e enganadoras que se têm vindo a repetir neste tipo de clínicas", afirmou o bastonário à agência Lusa.