Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

VENHAM MAIS COMBOIOS!

Imagens de Fundo

  • 333

COMBOIO NOTURNO PARA LISBOA

Estreia amanhã 'Comboio Noturno para Lisboa', de Bilie August, a partir do famoso romance homónimo de Pascal Mercier. O filme não é uma obra-prima mas o seu maior mérito é vender a luz da cidade e Lisboa  um dos mais belos lugares do mundo para viver e mudar de vida. Enquanto muitos lisboetas e portugueses fazem a viagem ao contrário e nos tempos que correm, venham daí mais comboios!

José Vieira Mendes

A adaptação de 'Comboio Nocturno para Lisboa' de Pascal Mercier não era à partida uma tarefa muito fácil para nenhum realizador. E quem já leu este romance pode certicar esta afirmação. Não há livros impossíveis de levar ao ecrã, só que este, 'Comboio Noturno para Lisboa' é essencialmente um profundo ensaio filósofico e existencial, em que a viagem a Lisboa torna-se apenas o pretexto do seu 'cinzento' protagonista para inspirar o seu pensamento e mudar de vida. Para um homem com duas Palmas de Ouro e um Óscar de Melhor Filme Estrangeiro do Oscar, como Bille August ('Pelle, o Conquistador'), também se esperava mais. Mesmo com as naturais dificuldades da adaptação literária; e sabendo que não é por acaso que o realizador tenha feito apenas dois filmes na última década: 'Return to Sender', e 'Goodbye Bafana', filmes que na verdade desapareceram sem deixar rasto, mesmo sendo um deles um biopic sobre Nelson Mandela. De qualquer mod,o esta produção alemã-suiça e que conta ainda com 10% da portuguesa Cinemate, consegui reunir um grupo de estrelas internacionais e portuguesas: Jeremy Irons, Bruno Ganz, Mélanie Laurent, Christopher Lee, Lena Olin, Martina Gedeck, Jack Huston, August Diehll e os portugueses Nicolau Breyner, Marco de Almeida, Adriano Luz, José Wallenstein e Beatriz Batarda. A grande curiosidade (pelo menos para nós portugueses) era o facto de ter sido quase na totalidade filmado em Lisboa  Quanto ao filme conta a história de Raimund Gregorius (Jeremy Irons) um talentoso, mas maçador professor de meia-idade. Depois de um encontro casual com uma misteriosa mulher, num dia chuvoso da cidade de Berna onde ensina e leciona, Raimund descobre um livro do escritor e medico português, Amadeu de Prado, uma figura perseguida pelo regime de Salazar. É com este pretexto que enceta uma surpreendente viagem de comboio até Lisboa, para descobrir o destino de tão fascinante personalidade. A jornada de autodescoberta de Raimund e o que está à volta dela, é na verdade uma história apaixonante e bela, ainda mais apoiada no cenário, cor e na luz da lindíssima Lisboa, que é felizmente a grande protagonista de 'Comboio Noturno para Lisboa. O filme não é mau, mas é monótono e enrrolado: repetem-se muitos planos da cidade e das viagens de cacilheiro; a história é reduzida ao mínimo do drama; procura fazer um relato e uma história dos movimentos da oposição e da polícia política de Salazar, mas nem sempre da forma mais correcta e verossímel, pelo menos para nós portugueses. Pois é evidente que 'Night Train to Lisbon' é uma produção internacional, com um magnífico elenco, mas imagino quanto vai ser estranho para os espectadores portugueses, verem um filme rodado em Lisboa, sobre a história e as memórias do Estado Novo, todo falado em inglês.