Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

UM RIO CHEIO DE CINEMA

Imagens de Fundo

  • 333

Amazónia 3D, na abertura do Festival do Rio.

A partir de ontem, quinta-feira (26) e até 10 de Outubro, milhares de cinéfilos cariocas e os turistas do Rio de Janeiro, poderão assistir ao melhor da recente produção audiovisual brasileira e internacional, num dos maiores festivais de cinema da América do Sul.  

José Vieira Mendes

O Festival do Rio é considerado uma das mais importantes mostras cinematográficas da América Latina, que tem acompanhado, ao longo dos últimos anos, as grandes tendências da produção mundial e o melhor do cinema brasileiro. São cerca de 380 filmes, de mais de 60 países, que serão exibidos, até o dia 10 de outubro, em cerca de 30 cinemas espalhados pela cidade maravilhosa. Nas diversas secções o destaque vai em primeiro lugar para a Première Brasil, constituída por onze longas-metragens de ficção e oito documentários, além de 17 curta-metragens. A Première Brasil apresenta ao público e ao mercado internacional a multiplicidade da produção audiovisual brasileira recente, nas categorias Competitiva, Retratos, Hors Concours e Novos Rumos. Os filmes Première Brasil concorrem ao Troféu Redentor, eleitos por voto do público (melhores longa-metragem e curta-metragem) e pelo júri oficial. Entre os 380 filmes selecionados, cerca de 147 são documentários, mostrando a crescente importância do cinema sobre a realidade. 'Amazónia 3D', abre o Festival do Rio, numa sessão especial realizada no Cine Odeon Petrobras, na Cinelândia, em pleno centro do Rio de Janeiro, mas também vai ser exibido em outras sessões do festival, uma delas hoje (27), ao final da tarde, no Cine Carioca do Complexo do Alemão. 'Amazônia 3D' é uma combinação de ficção e documentário, que faz uma curiosa viagem pela Floresta Amazónica. O filme é narrado do ponto de vista de um pequeno saguin, sobrevivente de um acidente de avião. 'Amazônia 3D' estreou há poucas semanas na última Mostra de Veneza, é uma coprodução entre o Brasil e a França, dirigida pelo francês Thierry Robert, realizador de 'O Planeta Branco' (2006), um documentário sobre a Antártica. O país homenageado, este ano será a Alemanha, com uma mostra inteiramente dedicada à sua mais recente produção. Alfred Hitchcock está de volta ao Festival do Rio, com uma mostra de três filmes do início da sua carreira, que serão apresentados em cópias restauradas: as longas-metragens 'O inquilino' - o primeiro filme de suspense de Hitchcock -, 'Downhill' e 'O Ringue', todos de 1927. A apresentação de filmes restaurados foi iniciada na edição passada, com a exibição de 'Pleasure Garden' (1925), que se repete este ano na Praia de Copacabana. Os Mestres da Ásia, Hong Sang-soo, Kim Ki-duk, Takeshi Kitano e Kiyoshi Kurosawa serão alguns dos realizadores que terão os seus filmes apresentados nesta edição do festival. Paralelamente ao festival realiza-se o RioMarket, um grande encontro de profissionais e um dos maiores mercados do audiovisual da América Latina. Para consultar a programação completa: http://www.festivaldorio.com.br

<#comment comment="EndFragment">