Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

UM MISTÉRIO À BEIRA DO LAGO

Imagens de Fundo

  • 333

O Desconhecido do Lago, o vencedor do SEFF 2013.

O filme francês 'O Desconhecido do Lago', do realizador Alain Guiradie, um thriller de verão sobre, crime e desejo numa praia fluvial de nudistas gay, foi o vencedor do Giraldillo de Ouro, o prémio principal do festival de cinema sevilhano, inteiramente dedicado ao cinema produzido no Velho Continente. O Giraldillo de Plata foi para o já Leão de Ouro de Veneza,'Sacro Gra', um documentário do italiano Gianfranco Rosi, sobre o 'respirar' dos locais e das gentes, que vivem em volta da circunvalação de Roma.

José Vieira Mendes

<#comment comment="[if gte mso 9]> Normal 0 0 1 510 2908 Terra 24 5 3571 10.2418 <#comment comment="[if gte mso 9]> 0 0 0 <#comment comment="StartFragment">

O júri internacional do SEFF 2013 atribuí o Giradillo de Ouro como Melhor Filme a 'O Desconhecido do Lago', (www.youtube.com/watch?v=46LvuAdgUjo), do francés Alain Guiraudie ('O Rei da Evasão'), filme que recebeu também o Prémio de Melhor Fotografia, para Claire Mathon. Este filme de Guiradie já tinha ganho no Festival de Cannes, o Prémio de Melhor Realização da secção 'Un Certain Regard'. O júri justifico este prémio para o 'O Desconhecido do Lago', 'pela sua sincera e original abordagem à natureza do amor'. O filme conta a perigosa história, das amizades e amores de um grupo de nudistas, durante um verão num lago. O protagonista deste thriller homoerótico é Franck, um homem que passa o seu tempo, no 'engate', entre a amizade e o amor platónico, com um tranquilo Henri e o desejo erótico com Michel, um jovem delinquente. O Giraldillo de Prata da competição oficial foi para o filme italiano 'Sacro Gra', dirigido por Gianfranco Rosi, o premiado documentário sobre a auto-estrada em volta de Roma, que segundo o porta-voz dos jurados ganhou, 'pela sua maneira de retratar a vida quotidiana com uma extraordinária sensibilidade e humanidade'. O malaio Tsai Ming-Liang foi considerado como Melhor Realizador pelo seu filme 'Stray Dogs', uma co-produção europeia, que narra a história de uma familia monoparental que vive na miséria e nas ruas da cidade de Tapei, afectada fortemente pela crise económica. O galardão de Melhor Actriz foi para a actriz alemão Alexandra Finder pela sua tocante interpretação de uma mulher que sofre a violência do marido, em 'The Police Officer's Wife' do alemão Philip Gröning, e Melhor Actor foi para um favorito antecipado, o italiano Toni Servillo, pelo seu papel arrebatador de um boémio romano de meia-idade, em 'La gran belleza', de Paolo Sorrentino, filme que ganhou ainda o Prémio Euroimages, atribuído à melho co-produção europeia. O júri reconheceu ainda o Melhor Argumento, para 'Selfish Giant', (Reino Unido), escrito e dirigido por por Clio Barnard, e também um dos filmes mais premiados desta temporada de festivais de cinema. O filme espanhol 'La jungla interior', de Juan Barrero, uma obra hipnótica e reflexiva centrada na vida de um casal em crise e sobre os mistérios da mente humana e da relação entre o homem e a natureza, ganhou, o Prémio da Secção 'Nuevas Olas. Segundo o júri, 'pelas suas qualidades estéticas, simbólicas e poéticas, pelo empenho pessoal no processo de criação desta obra, da sua protagonista, Gala Pérez, assim como por considerar necessário apostar na distribuição de um filme que está encontrando sérias dificuldades, para ser mostrado nas salas'. Nesta mesma secção (onde estavam os filmes portugueses 'E Agora? Lembra-me', de Joaquim Pinto e 'Lacrau' de João Vladimiro), foi o documentário, 'Costa da Morte', de Lois Patiño, um curiso olhar sobre esta bela região da Galiza, a ser considerado Melhor Filme de não-ficção. Na mostra 'Resistencias', o filme 'El triste olor de la carne', de Cristóbal Arteaga, um filme sobre um homem desesperado pela perda do seu posto de trabalho, ganhou o Prémio de Melhor Filme, outorgado pela crítica internacional. O Grande Prémio do Público da Selecção EFA, que integra os filmes mais premiados e aplaudidos na Europa, foi também sem grande surpresa para 'Alabama Monroe', do belga Felix Van Groeningen, o filme que representa a Bélgica nos Oscar de Hollywood, e o filme com mais nomeações (5), aos Prémos EFA, da Academia de Cinema Europeu.

<#comment comment="EndFragment">