Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

UM DOCE AROMA A PEIXE

Imagens de Fundo

  • 333

Leviathan, a melhor longa metragem IndieLisboa13

Premiado em vários festivais internacionais e já documentário-sensação do ano de 2013, passado num barco de pesca em alto-mar, 'Leviathan', de Lucien Castaing-Taylor e Véréna Parável, (Reino Unido/EUA/França) foi sem grande surpresa, a longa-metragem vencedora da Competição Internacional do IndieLisboa 2013. Em consonância com as temáticas da natureza, mas numa viagem ao campo e ao interior de Portugal, 'Lacrau', de João Vladimiro, foi considerada a Melhor Longa Metragem na Competição Nacional.

José Vieira Mendes

Afinal não foram só as histórias das mestras da lota de Caxinas de 'É o Amor', de João Canijo, que mostraram que a pesca e o peixe podem ser contagiantes e coloridos, pela beleza e força das imagens de fortes tonalidades. Os cerca de 90 minutos, de 'Leviathan', da dupla de realizadores Lucien Castaing-Taylor e Véréna Parável, mostram isso mesmo, através das pequenas câmaras fixas aos pescadores, aos barcos e às máquinas de puxar redes; essas câmaras afundam-se ainda nos tanques de peixe e no oceano e depois voam como se fossem balões entre as gaivotas. O resultado é um filme algo abstracto, totalmente diferente do típico documentário de natureza, que regista as difíceis tarefas da pesca industrial em alto-mar, mas sempre com o mínimo de interferência possível dos realizadores ou da equipa de rodagem. Em longos planos-sequência e quase em tempo real, vemos as diversas espécies de peixes e moluscos a saírem das redes do oceano, serem separados, limpos e armazenados. Não há diálogos, apenas trabalho e a interacção entre animais, humanos e as máquinas. Na verdade, a natureza esteve muito presente nesta edição do IndieLisboa 2013, em particular na Competição Nacional com dois filmes-ensaio 'bressonianos', de cariz documental: 'Lacrau', de João Vladimiro (Prémio de Melhor Longa Metragem), e 'Campo de Flamingos sem Flamingos', de André Príncipe. Em comum nestes filmes (incluindo em 'Leviathan'), uma busca de novos caminhos para o cinema, não apenas na forma de contar histórias, mas igualmente, na procura de outros pontos de vista e de questionamentos, sobre o mundo em que vivemos. 'Da Vinci', de Yuri Ancarani (Itália), é também esse exemplo de pesquisa numa irónica ode cinematográfica à tecnologia e à robótica. Foi o vencedor da Competição Internacional de curtas metragens, num concurso em que houve uma enorme diversidade de propostas, nem sempre tão acertadas, como a selecção de longas metragens. 'Gingers', de António da Silva (Portugal/Reino Unido), um cineasta português residente em Londres, ganhou o concurso nacional, com o seu curioso ensaio e conjunto de depoimentos sobre pessoas algo diferentes: os ruivos. O segundo prémio mais importante da Competição Internacional de Longas Metragens (Prémio de Distribuição TVCine) foi atribuído a 'Eles Voltam', do jovem brasileiro Marcelo Lordello, um filme desta feita, destinado a audiências mais alargadas e de pretensões menos ensaísticas. Pelo contrário, 'Eles Voltam' é um filme realista, um subtil retrato do Brasil, sobre as desigualdades sociais, vistas acidentalmente por Cris (brilhante interpretação de Maria Luísa Tavares), uma garota de 12 anos da classe média-alta do Recife.

 

Palmarés IndieLisboa'13

Júri Internacional de Longas Metragens - Dennis Lim, Leonor Silveira, Gerwin Tamsma

Grande Prémio de Longa Metragem Cidade de Lisboa

Leviathan, Lucien Castaing-Taylor e Véréna Paravel (Reino Unido, E.U.A., França)

Prémio de Distribuição TVCine

Eles Voltam, Marcelo Lordello (Brasil)

 Prémio Digimaster para Melhor Longa Metragem Portuguesa

Lacrau, João Vladimiro (Portugal)

Júri Internacional de Curtas Metragens - Graeme Cole, Inês Nadais, Tess Renaudo

Grande Prémio de Curta Metragem

Da Vinci, Yuri Ancarani (Itália)

Menções Honrosas

Animação: Comme des Lapins (Chroniques da la Poisse, chap. 2), Osman Cerfon (França)

Documentário: Resistente, Renate Costa Perdomo, Salla Sorri (Dinamarca, Finlândia, Paraguai)

Ficção: Noelia, María Alché (Argentina) e El Ruido de las Estrellas me Aturde, Eduardo Williams (Argentina)

Prémio Pixel Bunker para Melhor Curta Metragem Portuguesa

Gingers, António da Silva (Reino Unido, Portugal)

Menção Honrosa

Má Raça, André Santos e Marco Leão (Portugal)

Prémio Novo Talento FNAC

Má Raça, André Santos e Marco Leão (Portugal)

Prémio Novíssimos

Outro Homem Qualquer, Luís Soares (Portugal)

Júri Pulsar do Mundo - Maria Bonsanti, Pedro Marques, António José Teixeira

Prémio Culturgest Pulsar do Mundo

La Chica del Sur, José Luis García (Argentina)

Menção Honrosa

Donauspital - SMZ Ost, Nikolaus Geyrhalter (Áustria)

Júri Amnistia Internacional - José Bernardino, Tiago Guedes, Cândida Pinto

Prémio Amnistia Internacional

The Act of Killing, Joshua Oppenheimer (Dinamarca)

Menção Honrosa

The Devil, Jean-Gabriel Périot (França)

Júri Árvore da Vida - Margarida Ataíde, Inês Gil, Rui Martins

Prémio Árvore da Vida para Filme Português

Lacrau, João Vladimiro (Portugal)

Menção Honrosa

Rhoma Acans, Leonor Teles (Portugal)

Júri TAP - Antonieta Pezo

Prémio TAP para Longa Metragem Portuguesa de Ficção

É o Amor, João Canijo (Portugal)

Prémio TAP para Documentário Português

Torres & Cometas, Gonçalo Tocha (Portugal)

Júri do Público - Competição Internacional, Observatório, Cinema Emergente, Pulsar do Mundo, IndieJúnior e Novíssimos

 Longa Metragem

Amsterdam Stories USA, Rob Rombout, Rogier Van Eck (Bélgica)

Curta Metragem

Le Libraire de Belfast, Alessandra Celesia (Reino Unido, França, Irlanda) 

IndieJúnior

De Club van Lelijke Kinderen/O Clube das Crianças Feias, Jonathan Elbers (Holanda)