Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

OS DIAS ROMENOS

Imagens de Fundo

  • 333

BEST INTENTIONS, O FILME DO DIA.

  Começaram hoje pela manhã, com um passeio de reconhecimento pela velha cidade de Cluj-Nepoca (Roménia) e pelos locais do festival (sala de imprensa, acreditações e salas de cinema) os nossos 'Romanian Days', que se prolongam até ao próximo sábado. Trata-se uma jornada de (re) descoberta do melhor cinema romeno da actualidade, a convite do Instituto Cultural Romeno em Lisboa e com apoio do TIFF. Estes 'Roman Days' são na verdade uma das principais secções nacionais de um dos mais importantes e dinâmicos festivais de cinema da Europa Central. Por seu lado as projecções iniciaram-se da melhor forma com 'Best Intentions', de Adrian Sitaru, uma deliciosa crónica, sobre a paranóia de um trintão, que vive obcecado por uma recaída de saúde da sua mãe. Um excelente filme que já foi duplamente premiado no Festival de Locarno 2011.

José Vieira Mendes

 <#comment comment=" /* Font Definitions */ @font-face {font-family:"Times New Roman"; panose-1:0 2 2 6 3 5 4 5 2 3; mso-font-charset:0; mso-generic-font-family:auto; mso-font-pitch:variable; mso-font-signature:50331648 0 0 0 1 0;} @font-face {font-family:Arial; panose-1:0 2 11 6 4 2 2 2 2 2; mso-font-charset:0; mso-generic-font-family:auto; mso-font-pitch:variable; mso-font-signature:50331648 0 0 0 1 0;} /* Style Definitions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-parent:""; margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:Times;} p.MsoBodyText, li.MsoBodyText, div.MsoBodyText {margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; text-align:justify; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:Arial;} p.MsoBodyText2, li.MsoBodyText2, div.MsoBodyText2 {margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:none; tab-stops:28.0pt 56.0pt 84.0pt 112.0pt 140.0pt 168.0pt 196.0pt 224.0pt 252.0pt 280.0pt 308.0pt 336.0pt; mso-layout-grid-align:none; text-autospace:none; font-size:12.0pt; font-family:Arial; color:black;} @page Section1 {size:612.0pt 792.0pt; margin:72.0pt 90.0pt 72.0pt 90.0pt; mso-header-margin:36.0pt; mso-footer-margin:36.0pt; mso-paper-source:0;} div.Section1 {page:Section1;} ">

A manhã acordou cinzenta e apesar da temperatura amena (25º) a chuva miudinha caiu e molhou os festivaleiros, nesta zona histórica da velha e tranquila cidade de Cluj-Napoca: um conjunto de quarteirões de ruas não muito largas, mas cheias de velhos edifícios algo degradados, marcados pela rígida e formal arquitectura comunista e belas igrejas ortodoxas. Ao mesmo tempo Cluj é uma cidade com um certo charme, faz lembrar um pouca a zona histórica do Porto, mas sem o rio Douro.  Aqui estamos muito longe do Mar Negro. Cluj tem muita gente nova na rua, graças às suas universidades. São os estudantes, que enchem as sessões de cinema, os espaços de diversão e bares com música e concertos ao vivo, associados ao TIFF. Ontem chegamos tarde mas ainda houve tempo para cear e beber um copo no bar que está inserido no magnífico edifício recuperado que se chama Casa TIFF. Havia um concerto do músico norueguês Nils Peter Molvaer.

Foi da melhor maneira que começou esta selecção romena, escolhida pelo Director Artístico do TIFF, Mihai Chirilov, com 'Best Intentions' de Adrian Sitaru. Alex tem 30 anos deixou a casa dos pais, vive com uma bela e doce namorada, mas torna-se ansioso e neurótico. Quando o pai lhe telefona dizendo que a mãe sofreu um AVC, Alex corre imediatamente para o hospital. Perante médicos, enfermeiros, doentes e visitas, Alex mostra-se incapaz de conter sua ansiedade e preocupação. Desconfiado insiste mesmo em transferir a mãe para outro hospital. No entanto, à medida que a mãe vai melhorando, Alex parece afundar-se numa neurose. Apesar de tudo, 'Best Intentions', é um filme muito realista com uns diálogos notáveis e excelentes interpretações. Os espectadores vão seguindo a história através do olhar de cada personagem. É uma história simples de inspiração pessoal do realizador, que passa por aquela sensação que todos temos na vida, de crescermos, sairmos de casa e nos desligarmos dos cuidados dos nossos pais. Para de repente estarmos na situação de tomar conta deles. E às vezes de uma forma algo ansiosa.  O filme é precisamente sobre uma deriva algo paranóica de Alex (uma magnifica interpretação de Bogdam Dumitrache, que já valeu Prémio de Interpretação em Locarno), que tenta desesperadamente melhorar as condições de vida e saúde da sua progenitora. Embora não seja uma crítica directa ao sistema de saúde (como 'A Morte do Senhor Lazarescu'), é um filme que como quase todos do cinema romeno, vive à sombra de uma herança e das conotações e asfixias kafkianas, dos anos do regime de Ceausescu. Não é de todo um acaso as bandeiras da Roménia e da União Europeia, estão em conjunto, espalhadas por esta zona da cidade de Cluj.