Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

O ESTADO DO MUNDO DAS CURTAS

Imagens de Fundo

  • 333

FILME DE ABERTURA: ‘In the Fog’, do bielorrusso Sergei Loznitsa.

Abre amanhã o 'festival dos festivais das curtas', com 'In the Fog', do bielorrusso Sergei Loznitsa, e prolonga-se até 14 de Julho, mostrando o melhor que há no mundo. Vai ser uma semana intensa de actividades, que vão desde as habituais, Competições (Internacional e Nacional) de curtas-metragens, às exposições na Solar - Galeria Cinemática, passando pelo filmes do Estaleiro e 'Da Curta à Longa', Panoramas, antestreias de filmes que vão chegar às salas nacionais e as inevitáveis 'Curtinhas'. Muito para ver no festival vilacondense, que já está entre os maiores eventos do género ao nível nacional e internacional.

José Vieira Mendes

As principais competições (Internacional e Nacional) continuam a proporcionar as mais diversificadas sessões e as maiores apostas do festival, demonstrando o estado atual do mundo da curta-metragem. A competição internacional exibirá cerca de 34 filmes de 21 países diferentes, numa seleção com alguns dos autores que fizeram a história no festival; a competição nacional é composta por 17 curtas-metragens portuguesas que se dividem entre nomes consagrados e jovens autores que arriscam no cinema o seu olhar sobre o mundo: Ivo M. Ferreira ('Na Escama do Dragão'), João Viana (Tabatô), David Bonneville ('Cigano'), João Pedro Rodrigues ('O Corpo de Afonso'), João Nicolau (Gambozinos'), entre outros. Mas também as competições experimental, Curtinhas (filmes para crianças), e Take One! (filmes de escola) serão excelente oportunidade para assinalar as melhores curtas-metragens desta última temporada.

DUPLA ABERTURA

A abertura oficial do 21º Curtas Vila do Conde faz-se de uma forma simbólica, não com curtas, mas com o regresso do aplaudido cineasta bielorrusso Sergei Loznitsa, com 'In the Fog'. Depois de no ano passado ter apresentado, um dos filmes-encomenda das celebrações dos vinte anos do Curtas traz-nos agora a longa 'In The Fog', uma estreia absoluta em Portugal (Prémio FIPRESCI do Festival de Cannes 2012), e uma violenta análise da sociedade soviética, no cenário da II Guerra Mundial e da ocupação nazi. A apresentação deste filme marca igualmente o início da Secção 'Da Curta à Longa', com realizadores que tem mantido uma relação constante com o Festival, onde se incluem ainda: Basil da Cunha (Até Ver a Luz), Yann Gonzalez ('Les rencontres d'apres minuit) e Antonin Peretjatko ('La fille du 14 juillet'). Todos curiosamente apresentados no Festival de Cannes. Também para a abertura 'late night' está prevista às 23h uma sessão especial e ante-estreia em Portugal de 'Paixão', o último filme de Brian De Palma. Estreado Festival de Veneza, 'Paixão' é um regresso do veterano realizador ao thriller erótico, desta vez com Rachel McAdams e Noomi Rapace, que protagonizam duas competitivas executivas em ascensão numa multinacional cuja a história se transforma num thriller literalmente de cortar a respiração.

<#comment comment="[if !supportEmptyParas]"> ESTALEIRO E PARALELAS

À semelhança do ano anterior, 21º Curtas Vila do Conde regressa igualmente com um série de filmes do Estaleiro, um palco privilegiado para a estreia das quatro novas produções: 'Mahjong', de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata (sobre a Chinatown de Vila do Conde, numa curiosa 'sequela' dos temas asiáticos na obra dos realizadores; 'A Mãe e o Mar', de Gonçalo Tocha um filme rodado na comunidade piscatória de Vila Chã; 'De Onde os Pássaros Vêem a Cidade', de André Tentúgal, rodado na zona do Porto); e 'Fernando que ganhou um pássaro do mar', rodado no Brasil, pela dupla de Belo Horizonte: Felipe Bragança e Helvécio Marins Jr. A Solar - Galeria de Arte Cinemática apresenta uma exposição de vários artistas que (prolonga-se até 1 de Setembro) reflectem sobre a condição do cinema e a presença física da película enquanto matéria prima para a expressão artística em plena era digital. O cineasta nova-iorquino Bill Morrison, um dos expoentes máximos do cinema experimental contemporâneo e do found footage, apresenta um programa especial que inclui as suas curtas-metragens, uma masterclasse e ainda a projeção de 'Decasia', a sua mais aclamada longa-metragem. O programa Stereo, como todos os anos, promove a interseção entre o cinema e a música e este ano com quatro filmes-concerto: White Haus (espetáculo com inspiração na Nova Iorque dos anos 70); Vítor Rua e Rita Redshoes + The Legendary Tigerman (filmes de Paulo Abreu); Alex Puddu (filmes pornográfico dinamarqueses); e Zelig ("Bucking Broadway", de John Ford). O Curtinhas: Filmes e Oficinas é já um minifestival dentro do próprio 'Curtas' já que apresenta uma secção especialmente dedicada aos mais pequenos e uma competição de filmes para crianças, divididos em quatro sessões. No Curtinhas, acontecerão igualmente duas oficinas de criação cinematográfica.  A par de todas estas seções e eventos, surgem ainda as seções Panorama Europeu e Nacional e realiza-se o habitual Mercado da Curta Metragem, dedicado exclusivamente a profissionais, que permite o visionamento individual de todos os títulos inscritos.

<#comment comment="EndFragment">