Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

MARIA DE MEDEIROS NOS POTENCIAIS VENCEDORES

Imagens de Fundo

  • 333

Tatuagem, o favorito entre os favoritos.

A partir das 21h de hoje, começam a ser revelados no Palácio dos Festivais, os vencedores de 2013, de uma competição que exibiu em sete dias, cerca de dezasseis curtas-metragens brasileiras (é pena que não tenha uma competição internacional), oito longas brasileiras e seis longas estrangeiras. A actriz e realizadora portuguesa Maria de Medeiros, com o seu documentário 'Repare Bem', está entre os favoritos aos prémios principais de longas metragens estrangeiras. Os favoritos nacionais são 'Éden', de Bruno Safadi e 'Tatuagem', de Hilton Lacerda, sem dúvida as melhores propostas, as mais arriscadas do ponto de vista estético e artístico e que melhor representam o cinema brasileiro da actualidade. (em Gramado)

José Vieira Mendes

A seleção de filmes feita pelo actor José Wilker e pelos críticos Marcos Santuário e Rubens Ewald Filho, revelou de certa forma equilíbrio e compromisso com o público, aliados à sempre importante necessidade de conciliar várias vertentes de um festival localizado numa das mais famosas hospitaleiras e turísticas cidades do Brasil. Independentemente da qualidade dos filmes estiveram presentes um conjunto de de novos realizadores ('Éden' ou 'A Bruta Flor do Querer'), filmes de experientes cineastas-autores ('Os Amigos' ou 'Primeiro Dia de Um Ano Qualquer'), e todos os géneros estiveram representados desde o documentário ('Revelando Sebastião Salgado') à animação ('Até que a Sbórnia nos Separe'). No entanto, além de 'Tatuagem' e 'Éden', (sendo que 'A Colecção Invisível', já circulou por outros festivais e tem o estigma de ser o último a ser apresentado na competição), não apareceram filmes ousados ou grandes novidades na cinematografia brasileira contemporânea. A competição de filmes latino-americana da seção estrangeira foi pouco expressiva e incluíu duas coproduções com o Brasil: 'Reparem Bem' e 'A Oeste do Fim do Mundo'. Há muitos filmes bons do eixo latino-americano a circularem pelos festivais internacionais que poderiam ter estado em Gramado. Em relação aos filmes brasileiros, o favoritismo divide-se entre duas sujestivas propostas: 'Éden'(http://www.youtube.com/watch?v=OP6KpvQwcWg) e 'Tatuagem' (http://www.youtube.com/watch?v=zO18p8TUgSk ), que estão de facto na linha da melhor cinematografia brasileira da actualidade, e respectivamente dos eixos de produção do Recife (da lufada de ar fresco do provocatório cinema pernanbucano) e do Rio de Janeiro. 'Éden' a terceira longa-metragem do realizador Bruno Safadi ('Meu Nome é Dindi', 2007 e 'Belair', 2009), que já tinha chamado à atenção no Festival de Roterdão 2013 é um dos candidatos a Melhor Filme e Melhor Realização; ou no mínimo um dos apontados para os Kikitos de Interpretação: João Miguel ('Xingú') e sobretudo Leandra Leal (que não tem mesmo concorrência), assinam duas extraordinárias actuações. Há quem aposte também num prémio técnico para a alucinante fotografia de Lula Carvalho, que tem quase o efeito alucinatório do pregão do pastor adventista, uma das figures do filme. Quanto a 'Tatuagem', a estreia na realização Hilton Lacerda, (o argumentista de 'A Febre do Rato', 'Baixio das Bestas' e 'A Festa da Menina Morta', entre outros excelentes filmes brasileiros recentes) parece ser o mais forte candidato ao Kikito de Cristal para Melhor Filme. Irandhir Santos que veste pele do líder libertário da Cª Chão das Estrelas é um inevitável ganhador do Troféu de Melhor Actor. Mas atenção aos seus colegas de elenco e verdadeiras revelações: Rodrigo García e Jesuíta Barbosa, um prémio de Melhor Actor, sobretudo para o primeiro, seria um grande incentivo para o jovem que faz um notável trabalho de composição do efemeninado Paulette. Lacerda sabe do ofício de argumentista como nenhum dos outros dos seus colegas e portanto também não seria de todo uma surpresa ganhar os prémios de Melhor Argumento e Melhor Realização, este último para uma arriscada e notável 'saída do armário' da escrita filmes, para detrás das câmaras. Nas longas metragens estrangeiras, 'A Oeste do Fim do Mundo' (http://www.youtube.com/watch?v=8B-w-Q5MQgs ) de Paulo Nascimento (o realizador de 'Em Meu Nome...') e 'Repare Bem', da portuguesa Maria de Medeiros, parecem assumir-se como os favoritos e os filmes com mais chances para disputarem entre si os Kikitos estrangeiros. Embora recorde-se são ambos coproduções com o Brasil e na sua essência não são filmes estrangeiros. Mesmo assim tudo leva a crer que realizador gaúcho Paulo Nascimento, literalmente a jogar em casa, possa levar algumas destas estatuetas: Melhor Filme, Melhor Realização ou mesmo Melhor Argumento. As atribuições dos Kikitos de Interpretação, parecem dividir-se em termos de favoritismo para as excelentes interpretações de César Troncoso ('A Oeste do Fim do Mundo') e para o argentino Víctor Laplace, em 'Puerta de Hierro, El Exilio de Perón'. Mas Vladimir Brichta, protagonista de 'A Coleção Invisível', pode também, entrar nesta disputa para Melhor Actor. O documentário 'Repare Bem', (http://www.youtube.com/watch?v=-NOXy98mGTI) de Maria de Medeiros, sobre três gerações de mulheres marcadas pela ditadura brasileira, bateu forte no coração da crítica e este sentimento pode ter chegado também ao júri. 'Repare Bem', tem muitas possibilidades de sair daqui de Gramado com um prémio de Melhor Filme ou um Prémio Especial do Júri. Nas curtas metragens brasileiras o favoritismo vai para 'A Navalha do Avô', de Pedro Jorge, sobre uma tocante relação do neto, com o avô, (interpretado pelo crítico e grande teórico do cinema brasileiro, Jean-Claude Bernardet) e as inevitáveis mudanças provocadas pela envelhecimento e a demência. <#comment comment="EndFragment">