Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

A princípio é simples

Estado Crítico

  • 333

Um "boy meets girl" forçado e muito delicado. E afinal, todos os casamentos são de conveniência



Pode-se olhar este filme como uma experiência sociológica, dentro de uma comunidade - judaica ortodoxa- fechada sobre si. Insular, cheia de consanguinidades. E observar-lhe com interesse antropológico as aparências, os trajos, os rituais, os cerimoniais, os protocolos. A forma como reagem à dor, à despedida, à separação, ou ao encontro. Ou então colocá-lo algures num meio caminho entre os livros da Jane Austen (cuja maior motivação e ambição das personagens femininas era o casamento) e o clássico Violino no Telhado, com o famoso lavrador judeu e suas três filhas casadoiras. Mas depois há algo de tão inocente, quase angelical, no olhar desta suposta noiva (Hada Yaron ganhou o prémio de melhor actriz no Festival de Berlim), que temos de colocar o filme numa outra prateleira. É um filme de gestos e de olhares. Sobretudo os das mulheres, que espreitam, conspiram, insinuam. Enquanto os homens de barbas e trancinhas dominam o espaço com os seus estardalhaços, danças e cantares. É patriarcal a comunidade, eles comandam, ordenam, caminham à frente. Elas olham de soslaio nos bastidores, e decidem. A situação é delicada. Uma jovem nubente está maravilhada com a perspectiva de ir casar, mesmo com um homem que não conhece. Espera-a, pensa ela, o mistério, a surpresa, a descoberta. Ela vive no mundo dos casamentos arranjados e nem questiona isso. Mas a situação torna-se mais sensível quando o noivo, que a comunidade lhe apresenta, é o cunhado, viúvo da irmã que acabou de morrer de parto. E assim, o bebé não se separa dos avós, a comunidade fica ainda mais fechada, mais unida e mais sufocante. E tudo se passa menos nas palavras e mais no olhar transparente desta jovem, nos close-ups, nos seus silêncios, embaraços, hesitações... E nos olhos, sempre oblíquos, que trocam as comadres, sem alardes nem desordens. Da mesma forma muito subtil, aparentemente simples, filma a realizador israelita, este drama, sem heróis nem vilões, mas tão cheio de humanidade dentro, que é a vida de todos nós, a história do desencontro, da desilusão, da resignação. No silêncio e no burburinho.

Noiva Prometida

De Rama Burshtein. Lemale et ha'halal, com Chayim Sharir, Hadas Yaron, Irit Sheleg Razia Israel,i Yiftach Klein. Drama. 90 min. Israel. 2012