Centenas de pessoas partiparam num protesto contra a união de um empresário muçulmano e uma professora judia, convertida ao islamismo. A manifestação,que decorreu no domingo, foi organizada por uma organização israelita de extrema direita que milita contra "a assimilação de judeus e os casamentos mistos".

Os manifestantes, que souberam do casamento porque os noivos o anunciaram no Facebook, tentaram aproximar-se dos convidados do casamento de Mahmud e Morel, gritando insultos.

Do outro lado de mais esta "barricada" em Gaza, muitos empunharam cartazes onde lia "O amor é mais forte que tudo" ou "Judeus e muçulmanos recusam ser inimigos".

O noivo tentou fazer com que a manifestação fosse proibida, mas um juiz autorizou o protesto, com a condição de que decorre a 200 metros do salão onde seria a festa. O casal teve de contratar guarda-costas para proteger os convidados, que acabaram por ter de abrir caminho entre os manifestantes para chegar ao local.