Todd Akin, candidato ao Senado dos Estados Unidos, em representação do Estado do Missouri, expressou a sua controversa opinião numa entrevista ao canal KTVI-TV.

O político é um opositor da interrupção voluntária da gravidez e causou uma enorme polémica ao afirmar perante as câmaras que as mulheres vítimas de violação têm mecanismos físicos que lhes permitem evitar a gravidez.

A entrevista sobre as regras de interrupção da gravidez, nos Estados Unidos, e as diferentes questões relacionadas com o aborto, gerou uma forte reação da sociedade norte-americana nos diferentes órgãos de comunicação social e nas redes sociais.

O candidato republicano ao senado afirmou ainda na entrevista: "As informações médicas mais recentes dizem que engravidar em caso de violação é muito raro". 

Os estudos médicos mais recentes nos Estados Unidos indicam que 5% dos casos de violação no país resultam em gravidez, com cerca de 32.000 mulheres grávidas após violação e abuso sexual na América. 

Em comunicado, Akin afirmou mais tarde em comunicado que as suas observações não refletem qualquer sentimento de antipatia perante as mulheres violadas.