Brasília, 12 ago (Lusa) - Um tribunal brasileiro revogou no sábado a decisão que previa a suspensão do acesso ao Facebook em todo o país por 24 horas por incumprimento da legislação eleitoral.

O Facebook foi acusado esta semana de recusar cumprir a ordem de retirada da página considerada ofensiva para o político local Dalmo Menezes, que é candidato à reeleição em outubro. A sentença incluia uma multa de 25 mil dólares (20.300 euros).

A informação negativa sobre o candidato era anónima, o que é ilegal no Brasil.