Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Teerão 6

Volta ao Mundo de Moto

  • 333

Os Iranianos consideram o cão um animal sujo, com uma certa razão, diga-se de passagem. Como eles não estão com meias medidas decidiram que os cães são proibidos, ou seja, não são bem proibidos, mas quando alguém tem um cão, ele desaparece passado pouco tempo

No outro dia encontrei num restaurante um casal em que ele era Finlandês e ela Japonesa. Aqui os poucos estrangeiros que se encontram metem logo conversa.  



Perguntei-lhes se era bom o que estavam a comer e como se chamava e eles disseram que sim, mas também não sabiam o nome. Tinham apontado para o que outro cliente estava a almoçar e foi assim que lhes trouxeram aquilo. Adoptei a mesma táctica e ficámos os três a comer a mesma coisa. O homem andava a viajar pela Asia há dois anos e chamou-me a atenção para um pormenor que ainda não tinha reparado: no Irão não há cães.



Depois de falar com outras pessoas confirmei o que se passa. Os Iranianos consideram o cão um animal sujo, com uma certa razão, diga-se de passagem. Como eles não estão com meias medidas decidiram que os cães são proibidos, ou seja, não são bem proibidos, mas quando alguém tem um cão, ele desaparece passado pouco tempo. Por esse motivo ninguém tem cães e nem os vemos como vadios. Simplesmente é uma espécie que está irradiada do país.



Entretanto, com a ajuda da Bahar, já comecei a perceber como se atravessa uma rua movimentada aqui em Teerão, estejamos ou não numa passagem para peões: Entramos pela rua apinhada de transito como se nos fôssemos suicidar e depois, sem nunca parar, olhamos para os carros e motos que vêm direitos a nós e abrandamos ou aceleramos ligeiramente o passo para atravessar antes ou depois do veículo. Não podemos hesitar nem parar e muito menos voltar para trás. É confiança e... seja o que Alá quiser.

Como ainda sou um iniciado hoje a coisa correu mal e fiz uma pega de caras a uma moto. Fiquei agarrado ao farol e o homem disse qualquer coisa do género "marahar, rebéubéu pardais ao ninho" que traduzi como "que ganda fiho da pu...." Larguei o touro e ele seguiu viagem.