Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Buxa Tiger Reserve

Volta ao Mundo de Moto

  • 333

Parti pelas nove e meia da manhã de regresso à "Buxa Tiger Reserve" para tentar que me organizassem um Safari. Ao contrario do Nepal, em que têm boas e bem arranjadas Lodge privadas com Safaris organizados, aqui na Índia é uma desorganização total

Ao contrario do Nepal, em que têm boas e bem arranjadas Lodge privadas com Safaris organizados, aqui na Índia é uma desorganização total. As Lodge menos más são do estado mas têm mau aspecto e estão mal tratadas. Os Safaris têm que ser planeados pelo cliente que tem que procurar quem tenha um jipe para alugar e contratar um guia que conheça a floresta. Ontem, quando cheguei à recepção, estava só um bébé deitado num cobertor. Passado um bocado lá apareceu a mãe a recolhe-lo e um recepcionista que não soube tratar de nada.

Hoje depois de insistir lá consegui reunir um Jipe, condutor e guia para o Safari através da floresta profunda, à procura de Tigres que me tinham avisado ser cada vez mais raro aparecerem. Por outro lado leopardos, elefantes e bisontes parece que são muito comuns por aqui. Só que, à hora que arrancámos é difícil encontrá-los e, de facto, acabámos por não ver nenhum. De qualquer forma foi um divertido passeio de duas horas através da densa floresta em que apanhámos árvores caídas no caminho, refrescámos os pés em rios e tivemos que afastar ramos e troncos para conseguir passar com o velho "Tata" que só tinha tração traseira. O passeio acabou duas horas depois quando o condutor, depois de uma guerra constante com a maneta da caixa de velocidades, acabou por a bloquear em quarta e, por mais que o homem desse pancada no manípulo, de quarta não saiu mais. Empurrámos o Jipe para fazer marcha atrás no meio da floresta e voltámos à base em quarta, a patinar a embraiagem nas zonas mais lentas.

Acabei por almoçar pelo Lodge da selva e resolvi ficar por aqui mais uma noite e partir só amanhã de manhã para o Bangladesh. Li há pouco no jornal que ontem assaltantes mataram um condutor de um camião que não quis entregar-lhes o dinheiro todo junto a esta fronteira de maneira que vou mentalizado para abrir os cordões à bolsa, se tiver que ser.