Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Agra

Volta ao Mundo de Moto

Esta manhã um problema estúpido fez com que ficasse por Agra mas por um lado ainda bem porque tive um dia muito divertido

Tinha ideia de ver o Taj Mahal de manhã e arrancar a seguir para outra cidade, só que quando fui para pôr a moto a trabalhar alguém, durante a noite, a tinha engatado em 1ª e como a deixo sempre em ponto morto não me ocorreu que isso pudesse ter acontecido. Como resultado disso o motor de arranque não funcionava e pensei tratar-se de um problema elétrico. Comecei por desmontar fusíveis, depois a tampa esquerda traseira par ver os relés, de seguida o interruptor do motor de arranque e só quando, quase uma hora depois, fui mudar a moto de posição para desmontar o motor de arranque, vi que estava engatada. Que grande tótó.

Decidi então ficar mais um dia em Agra e visitar o Taj Mahal com calma.

Tive a sorte de apanhar um guia divertidíssimo que não só era muito bem disposto como conhecia metade da população, metia conversa com a outra metade e tirava fotografias artísticas com o meu iphone, segundo os ângulos que ele achava mais espetaculares. Enfim, um personagem. Dentro do Taj Mahal punha-se a cantar em tom de opera, nas divisões que o Shah tinha reservado à música, para eu poder apreciar as qualidades acústicas do local. Estava a divertir-me tanto com ele que o convidei para almoçar e passámos o resto da tarde a beber cervejas em bares de terceira categoria. Pelo meio insistiu para que fosse conhecer o cunhado e a rapariga com quem ia casar e respectivas amigas. De vez em quando a mulher, já conhecendo a peça, telefonava-lhe a perguntar quando voltava para casa e o Gulshan passava-me o telefone para ela se certificar que ele estava comigo e não com uma galdéria qualquer. Rimos a tarde toda.

O Taj Mahal é de facto espetacular, pelo seu mármore que deixa entrar a luz do sol dando-lhe um brilho especial e pela obra em si para a qual foram necessários 22.000 homens a trabalharem durante 20 anos, para além de 1000 elefantes, utilizados para trazerem materiais preciosos dos quatro cantos da Ásia.

O Túmulo foi mandado construir pelo Shah Jahan em memoria da sua terceira mulher, Mumtaj Mahal que morreu quando dava à luz o 14º filho. O Shah está sepultado ao seu lado.