Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Ao volante do novo Peugeot 2008

VISÃO Motores

  • 333

Mais uma opção a ter em conta no, cada vez mais na moda, segmento dos SUV's compactos

MÁSCARA, CAOS E SILÊNCIO - É a primeira sensação e uma espécie de passaporte para uma nova realidade: o momento em que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se confunde com a esperança que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se
1 / 20

MÁSCARA, CAOS E SILÊNCIO - É a primeira sensação e uma espécie de passaporte para uma nova realidade: o momento em que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se confunde com a esperança que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se

moonspell
2 / 20

moonspell

moonspell
3 / 20

moonspell

moonspell
4 / 20

moonspell

moonspell
5 / 20

moonspell

moonspell
6 / 20

moonspell

moonspell
7 / 20

moonspell

moonspell
8 / 20

moonspell

moonspell
9 / 20

moonspell

moonspell
10 / 20

moonspell

MÁSCARA, CAOS E SILÊNCIO - É a primeira sensação e uma espécie de passaporte para uma nova realidade: o momento em que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se confunde com a esperança que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se
11 / 20

MÁSCARA, CAOS E SILÊNCIO - É a primeira sensação e uma espécie de passaporte para uma nova realidade: o momento em que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se confunde com a esperança que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se

moonspell
12 / 20

moonspell

moonspell
13 / 20

moonspell

moonspell
14 / 20

moonspell

moonspell
15 / 20

moonspell

moonspell
16 / 20

moonspell

moonspell
17 / 20

moonspell

moonspell
18 / 20

moonspell

moonspell
19 / 20

moonspell

moonspell
20 / 20

moonspell

Depois do sucesso do 3008, a Peugeot reforça a sua posição no segmento dos SUV's com o lançamento do novo 2008, um crossover urbano de linhas bastante apelativas, que chegou a Portugal no início de junho, mas que a VISÃO Motores teve oportunidade de conduzir durante a apresentação internacional à Imprensa, que teve lugar nos arredores de Estrasburgo, na região da Alsácia, em França.

 Assente na plataforma do citadino 208 e com apenas 4,16 m de comprimento e 1,74 m de largura, o novo 2008 revela-se um carro ágil e preciso, capaz de nos proporcionar uma condução estimulante em estrada. Até aqui a grande referência neste segmento era o Nissan Juke, mas a concorrência surge com o recente lançamento de vários modelos. Para além do 2008, temos agora o Renault Captur, o Opel Mokka e o Chevrolet Trax.

Não tenho grandes dúvidas de que o Peugeot 2008 tem atributos para brilhar. Porém, aproxima-se mais de uma pequena carrinha mais 'musculada' do que um SUV propriamente dito e notamos isso logo na posição de condução, que não é tão elevada como seria de esperar. De resto, é bastante confortável e apresenta um interior moderno e convidativo, herdado quase a 100% do Peugeot 208. Mantém o volante de dimensões reduzidas e o ecrã tátil semiflutuante de 7 polegadas, no qual podemos comandar todas as funcionalidades de audio, navegação e conectividade. No habitáculo são utilizados materiais de qualidade e bom gosto. A consola é revestida a couro pespontado em qualquer dos níveis superiores de equipamento e o painel de bordo é revestido com um material sedoso. Destaque ainda para várias peças em cromado acetinado, dos ventiladores ao comando do travão de mão, da decoração inferior do volante ao contorno do ecrã tátil. Acima de tudo, o 2008 é um carro onde nos sentimos bem. O interior é bem luminoso, seja graças ao tejadilho em vidro ou à assinatura luminosa exclusiva. O tejadilho apresenta motivos de desenho obtidos por gravação a laser, que se iluminam à noite através de uma suave luz branca difundida por LED. Após alguns quilómetros ao volante, percebemos que o 2008 apresenta uma boa dinâmica e é bastante confortável e agradável de conduzir. O nível de conforto estende-se também aos restantes passageiros. A habitabilidade é generosa graças a encostos dianteiros pouco espessos.

Com uma distância entre eixos de 2,54 m, o 2008 proporciona aos passageiros dos lugares traseiros uma habitabilidade generosa graças aos encostos dianteiros pouco espessos. É possível aos passageiros dos lugares traseiros acederem ao compartimento de bagagens sem deixarem o seu lugar, mesmo com o veículo em movimento, dada a possibilidade de rotação da parte dianteira do tapa-bagagens. A partir do exterior, o acesso à grande bagageira também fácil, dada a larga abertura rectangular e o limiar de carga baixo (apenas 60 cm). Prática até ao mais pequeno detalhe, a bagageira oferece dois espaços laterais de arrumação com uma cinta e uma rede de suporte, e ainda um espaço complementar de 22 litros sob o tapete do compartimento de bagagens.

No interior do 2008 existem vários espaços de arrumação, bem pensados e fáceis de localizar graças às luzes interiores à frente e atrás: bolsas rígidas nas portas da frente, porta-luvas, espaço rígido e porta-copos perto da alavanca de velocidades, espaço fechado na consola, bolsas flexíveis nas costas dos assentos dianteiros... No total, o volume destes espaços atinge 24 litros, pelo que chaves, smartphones e outros objectos do dia-a-dia encontram sempre um lugar a bordo do 2008. Apesar de não demonstrar a robustez de um SUV, o comportamento do 2008 fora de estrada chega mesmo a surpreender, muito graças ao novo sistema Grip Control, que otimiza a motricidade em condições de aderência reduzida. Este sistema patenteado pelo grupo PSA adapta-se ao terreno atuando sobre as rodas da frente, mas deixando para o condutor o controlo da situação. O comando situa-se na consola central e temos à nossa disposição cinco modos: - Standart, que se destina às condições de estrada habituais com reduzido índice de patinagem.

- Neve, que adapta instantaneamente a patinagem de cada uma das rodas motrizes às condições de aderência encontradas.

- Todo-o-terreno, que permite uma rodagem tranquila em terrenos escorregadios (lama, erva molhada, etc), assegurando que o veículo mantém sempre a aderência.

- Areia, que mantém algum nível de patinagem simultaneamente nas duas rodas motrizes para permitir a progressão sobre terrenos pouco estáveis, limitando o risco de atolar a viatura.

- ESP Off, que nos dá a liberdade de desligar totalmente o ESP e o Grip Control até à velocidade de 50 Km/h e de gerir em total autonomia a motricidade.

Este sistema funciona exclusivamente graças a elementos eletrónicos e está disponível com duas dimensões de pneus: 215/60 R16 ou 205/50 R17. Outra das novidades no Peugeot 2008 é o sistema Park Assist, para que as manobras de estacionamento não sejam um quebra cabeças. Após a ativação desta função, podemos selecionar no ecrã tátil o tipo de manobra a efetuar, á esquerda ou à direita da faixa de rodagem, e de seguida os ultrassons medem os espaços livres para nos avisarem na presença do primeiro lugar de estacionamento disponível. O Park Assist estaciona o veículo com recurso à assistência elétrica da direção, bastando ao condutor controlar a progressão da viatura e o espaço que o rodeia. A nível de motorizações, o Peugeot 2008 tem disponível dois motores a gasolina (1.2 VTi com 82 cv e 1.6 VTi com 120 cv) e três motores a Diesel (1.4 HDi com 68 cv, 1.6 e-HDi com 92 cv e 1.6 e-HDi com 115 cv). Todas as motorizações estão equipadas com o sistema Stop & Start. Em Portugal, o 2008 está disponível com três níveis de equipamento: Access, Active e Allure. Quanto a preços, começam nos 15.961 euros (1.2 VTi Access), sendo que o mais caro se situa nos 24.461 euros (1.6e-HDI). De salientar que na aquisição do 2008, a Peugeot Portugal oferece o serviço de manutenção programada durante 4 anos ou 80 mil kms, sem qualquer acrécimo no preço.