Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Manuel Delgado

Manuel Delgado

Professor da Escola Nacional de Saúde Pública

  • A liberdade de escolha na Saúde

    Há uma diferença entre sentir-se doente e saber o que se precisa. A ignorância do consumidor resulta exatamente deste desconhecimento, deixando-o duplamente vulnerável: pela sua doença e o sofrimento e ansiedade que ela provoca; pela submissão às decisões médicas que vai ter que seguir

  • Um novo ciclo para a Saúde?

    Já aqui o dissemos, a Saúde não precisa apenas de mais dinheiro. Precisa de reformas sérias e consequentes, que melhorem o acesso dos doentes e a qualidade dos cuidados. Terá o próximo Governo, capacidade de ir a jogo, desmontar argumentos e criar novos modelos de organização do trabalho, mais bem pagos, mas mais eficientes e produtivos?

  • A joia da coroa

    Para ser joia da coroa, precisamos de um Ministério da Saúde corajoso, com poder e espaço de manobra para introduzir reformas em áreas até agora intocáveis

  • O acesso a cuidados de saúde no SNS:A realidade de 2018

    Temos boas e más notícias: mais pessoas cobertas por médico de família, mais consultas, mais cirurgias realizadas em ambulatório, menos doentes internados e, pela primeira vez, TMRG nos cuidados primários; e, por outro lado, tempos de espera maiores para cirurgia, menos cirurgias realizadas face ao ano anterior, continuação de um excesso desordenado de procura de urgência e muito poucos cuidados médicos domiciliários

  • A Lei de Bases da Saúde: de uma bandeira da direita a um símbolo da esquerda?

    Valha a verdade para se dizer que também em relação à gestão de recursos humanos a nova Lei é mais sensata e responsável. À facilidade com que a anterior estimulava a passagem dos médicos e outros profissionais para o privado (Base XV, nº 2), com os resultados desastrosos que hoje todos conhecemos, responde a nova Lei defendendo, embora não se perceba como, uma política que progressivamente valorize a dedicação plena no SNS, podendo estabelecer incentivos

  • SNS - Inovação e equidade no uso de medicamentos

    O consumo de medicamentos tem sofrido uma enorme mudança nas últimas décadas, em que a evolução tecnológica tem sido brutal e com resultados, em muitas áreas, verdadeiramente disruptivos. Salvam-se vidas e dá-se qualidade de vida a muitos doentes, em situações que anteriormente não tinham qualquer prognóstico favorável