Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Margarida Rebelo Pinto

Margarida Rebelo Pinto

Margarida Rebelo Pinto é uma das mais famosas escritoras nacionais, com 26 livros publicados, 16 dos quais romances, e com mais de um milhão de exemplares vendidos numa carreira de 30 anos. Margarida decidiu que ia ser cronista quando tinha apenas 10 anos e leu As Farpas e os textos de Manuel Portugal no Tempo. Publicou a sua primeira crónica no primeiro número d’ O Independente, como cronista-mistério: chamava-se Miss X 22, a sua idade à época. Gosta de comida japonesa, de ir ao ginásio cinco vezes por semana e é viciada em sms. Escreve na visão.pt sobre sexo, amor e bom senso, com uma pitada de flor de sal. Porque a vida sem sal não tem graça nenhuma…

  • Primeiras conversas

    "A estupidez amorosa, designação inventada para esta crónica, consiste na perda temporária ou definitiva das capacidades cognitivas em relação ao outro". Margarida Rebelo Pinto foca-se na importâncias das primeiras conversas na crónica desta semana

  • Bons rapazes

    Difícil? Difícil é ser malabarista e conseguir pôr a girar dez ou mais pratinhos ao mesmo tempo sem nenhum cair. Difícil é já não sentir amor por alguém e continuar a dormir na mesma cama: Margarida Rebelo Pinto reflete sobre os "bons maridos" na crónica desta semana

  • VOTA FNAP: Frente Nacional Anti-Palhaço

    No meu mundo encantado, o FNAP seria um partido político de forte cariz social, situado naquela terra de ninguém que se tornou a social-democracia em Portugal, já que o PS continua a fazer malabarismos cada vez mais à direita, o PSD anda fraquinho e o CDS lá vai fazendo o caminho das pedras o melhor que sabe. Recentemente, o surgimento da Frente Liberal, uma espécie de versão otimizada do PSD com particular incidência de betos, acrescentou ao teatro político um certo glamour, embora não conste que se ganhem eleições com fatos de corte italiano, gravatas Hermès e sapatos feitos à medida em Londres

  • Regresso às aulas

    As épocas em que ocorrem mais separações no final do Inverno e no final do Verão. Os estudos indicam que a causa pode estar relacionada com as férias em família, já que a convivência 24 horas por dia poderá trazer ao de cima ressentimentos e outras chatices que minam a vida conjugal. Na crónica desta semana, Margarida Rebelo Pinto fala do fim das férias de verão e do regresso à rotina nas famílias

  • Diga não ao pargo congelado

    Nos dias que correm, desparecer do mapa e esperar que o tempo resolva as coisas é mesmo só falta de educação e ausência de caráter. Além disso trata-se de um duplo erro, porque além de ficarem mal na fotografia, só permanece no congelador quem quer. O pargo não tem pernas para sair de lá sozinho, mas uma mulher tem

  • O copo meio cheio

    Esperar que o outro seja tudo aquilo que sonhámos e corresponda a tudo aquilo que ambicionamos numa relação é como acreditar que se pode ganhar a lotaria da vida. Margarida Rebelo Pinto desmonta a crença comum de que a pessoa com quem partilhamos a nossa vida tem de ser um match em tudo

  • #EUSONAMORO

    Aproveitem este verão atípico e quase bipolar, a mudança da lua, a ameaça das alterações climáticas no planeta, a greve dos motoristas de matérias perigosas, inspirem-se naquilo que mais alento vos der, mas façam uma inflexão na vossa vida, corrijam a rota e alterem o vosso modus operandi para voltarem a namorar. Margarida Rebelo Pinto, em mais um Flor de Sal

  • Partir os pratos sem ninguém ver

    Fiquei fascinada. Há vinte anos era impensável ouvir duas mulheres a discutir técnicas de sexo oral num local público da moda. Duas executivas, vestidas com roupa de marca e apetrechadas com malas de monogramas mais ou menos visíveis, no intervalo do almoço, entre duas reuniões, ou dois contratos importantes. Margarida Rebelo Pinto ouviu uma conversa inesperada e partiu daí para mais esta crónica do Flor de Sal

  • Exercícios de empatia

    Deckard abraça a sua paixão, Roy, mesmo sendo androide, abraça a morte. E nós, quem é que abraçamos todos os dias? Será que damos todos os abraços que podemos dar ou nos esquecemos deles? Está cientificamente provado que um abraço com a duração de 20 segundos liberta no organismo uma dose de oxitocina cujo efeito se prolonga durante 24 horas. Margarida Rebelo Pinto reflete sobre as lições humanas de Blade Runner, a propósito da morte de Rugter Hauer

  • Cortas-me o bife, querida?

    Ao passar ao lado de uma mesa onde estavam dois casais, reconheci um gestor de sucesso da nossa praça. A mulher dele estava a passar-lhe o prato com o bife cortado aos bocadinhos. Margarida Rebelo Pinto pega num episódio a que assistiu para fazer uma reflexão sobre relações