Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Miguel Araújo

Miguel Araújo

MÚSICO

  • Opinião

    Miguel Araújo

    Luton

    Ninguém gosta de aeroportos, são currais desumanos que cospem as pessoas urgentemente de lá para fora, num cordão humano de gente ordeira mas irrequieta, com pressa, a arrastar bagagens de mão

  • Os fabulosos irmãos Sobral

    E eis o que a Luísa e o Salvador fizeram por mim: entraram com tudo. Deram tudo o que tinham, entraram com a vida toda. A Luísa entrou com a melhor música dela. Prestou-se. Eu não me prestaria a isso. Não me prestei. Muito menos no Festival da Canção

  • Ser guitarrista

    Antes de entrar em palco, arrependo-me sempre. Durante os 20 e tal anos seguintes havia de me arrepender um milhão de vezes de alinhar constantemente na ideia insana de ir para um palco com toda a gente a olhar. É um sofrimento com o qual só quem for extremamente acanhado poderá empatizar

  • Letra ou música?

    Há melodias que aparecem como que a cantarolarem-se a elas próprias e uma pessoa não pode olhar para elas muito de frente, como quem tenta agarrar uma borboleta, porque senão elas fogem envergonhadas

  • Opinião

    Miguel Araújo

    Deus

    Sou obrigado a reconhecer que sou superior ao universo que me criou. E isto sim, já me parece algo digno de prova

  • Cantar em português

    Escrever letras em português, neste género de música, é difícil, dá trabalho e não é nada natural. É uma tarefa que exige manha e teimosia, precisamente por não ser nada natural. E não é, nem poderá nunca ser, uma “obrigação cultural”

  • Opinião

    Miguel Araújo

    Porto

    Um amigo meu brasileiro passou uma temporada no Porto e deixou-se andar por aí à solta. Só no terceiro dia é que compreendeu esta simpatia grosseira que prende os forasteiros a esta cidade. É que nós, os nativos, os indígenas, os autóctones por trás dos balcões, nas ruas e nas esquinas, somos grosseiros como o raio

  • Opinião

    Miguel Araújo

    Filhos

    O mundo tornou-se um sítio ainda melhor (absolutamente melhor) graças aos meus filhos. E não falo do “meu” mundo