Os cinco autarcas do Vale do Tua ameaçaram hoje alterar a sua posição favorável à construção da barragem se os transportes alternativos ao comboio não forem repostos e continuarem a ser violadas as contrapartidas assumidas.

Os presidentes de Câmara que integram a Agência para o Desenvolvimento do Vale do Tua entendem que a suspensão dos táxis desde 01 de junho viola o plano de mobilidade determinado pelo Governo como contrapartida à construção da barragem.

"Se essas contrapartidas começam a falhar, logo na primeira oportunidade, obviamente que nós podemos começar a reequacionar a posição que temos adotado até aqui", afirmou hoje o presidente da agência e autarca de Alijó, Artur Cascarejo.