Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Tablets e smartphones podem atrasar significativamente o desenvolvimento da fala nas crianças

Estudo do Dia

  • 333

Luís Barra

Podem ser excelentes para os "entreter", mas não para estimular a linguagem. Um estudo concluiu que o atraso pode chegar quase aos 50 por cento

Na era digital, as tecnologias fazem parte do dia a dia mesmo dos mais pequenos. Dispositivos como tablets e smartphones tornam-se instrumentos, muitas vezes irresistíveis, para os pais entreterem os filhos com desenhos animados ou jogos. Mas nem tudo são vantagens, e se já vários estudos mostraram que a utilização destes aparelhos pode ter consequências no desenvolvimento das crianças, uma nova investigação concluiu que pode mesmo afetar o desenvolvimento da fala.

A pesquisa, divulgada pelo serviço de notícias ligadas à ciência Eurek Alert, analisou 894 crianças, com idades entre os seis meses e dois anos, durante 3 anos, e percebeu que estas passavam, pelo menos, 28 minutos por dia em smartphone e tablets. Através de uma ferramenta de triagem, os investigadores concluíram que, quanto mais os pais permitiam a utilização destes dispositivos, mais probabilidades existiam de os filhos desenvolverem atrasos na fala.

Os resultados revelaram que, por cada 28 minutos que as crianças passavam em frente aos pequenos ecrãs, isso atrasava em 49% o desenvolvimento da fala.

Catherine Birken, investigadora principal do estudo, defende que a utilização de qualquer tipo de aparelho deve ser proibida em crianças com menos de 18 meses.

Não foram identificados outros vínculos entre o tempo de utilização dos dispositivos móveis e outros atrasos de comunicação, como interações sociais e linguagem corporal.