Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Estudo revela que o 'mindfulness' é "coisa de mulheres"

Estudo do Dia

Reuters

Nos últimos anos as preocupações com a saúde mental têm aumentado. Atingir a "atenção plena" é uma meta que nem todos atingem. Nesta corrida, as mulheres chegam primeiro

O conceito de "atenção plena" (ou Mindfulness, termo em inglês) trata de distanciar a mente do passado e do futuro. Pretende-se que a pessoa esteja totalmente concentrada nas situações atuais e crie um equilíbrio entre a saúde mental, a alimentação e a relação com os outros.

À primeira vista, esta é uma condição que todos ambicionamos conceber, mas nem todos estamos aptos para a alcançar. Uma pesquisa realizada pela Brown University (EUA), revela que as mulheres têm mais facilidade do que os homens em atingir este estado de plenitude mental.

O estudo avaliou um grupo de 41 estudantes do sexo masculino e 36 do sexo feminino, durante um período de 12 semanas, no qual os estudantes frequentaram um curso de Mindfulness.

Os resultados revelaram que, enquanto as mulheres demonstraram mudanças significativas no estado mental, os homens revelaram mudanças mínimas.

A pesquisa salienta a relação entre o estado da mente e o género, questão que tem sido ignorada pelos médicos ao longo dos tempos. "O nosso estudo é um dos primeiros a explorar a plenitude da mente através do género", disse Rahil Rojiani, co-autor do estudo, citado pelo The Independent.

Segundo os investigadores, esta diferença pode acontecer porque as mulheres refletem mais sobre as coisas do que os homens. O sexo masculino tende a ignorar as preocupações, o que faz com que estejam mais focados no presente e, por essa razão, não sentem necessidade de atingir a plenitude mental.