Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Um em cada 5 praticantes de CrossFit contrai lesões, especialmente na coluna

Estudo do Dia

Justin Sullivan / GettyImages

Ortopedistas alertam para que a a má execução dos movimentos pode levar ao desenvolvimento de lesões, particularmente na coluna

O CrossFit tem vindo a despertar curiosidade. Nos últimos anos o número de adeptos aumentou um pouco por todo o mundo e Portugal também tem aderido à modalidade. O número de ginásios que passou a oferecer este tipo de desporto multiplicou-se e já existem estabelecimentos que se dedicam apenas a esta prática.

O programa funcional criado por Greg Galssman caracteriza-se pela união de três vertentes: variância, movimentos funcionais e alta intensidade. Por norma, os treinos são curtos, mas muito intensos.

Instrutores de atividade física consideram que o que distingue o CrossFit dos outros desportos é a série de movimentos funcionais, o que permite que o praticante desenvolva diferentes capacidades físicas em simultâneo.

Apesar da modalidade ser apoiada pelos médicos e fisioterapeutas, a execução errada dos movimentos pode levar a lesões no aparelho musculo-esquelético, alerta Luís Teixeira, médico ortopedista e presidente da associação sem fins lucrativos Spine Matters: "Este é um desporto bastante extenuante que expõe o atletas a um risco grande de lesão. Tenho recebido em consulta vários doentes com queixas relacionadas com a prática de atividades de alta intensidade."

As declarações do médico confirmam-se. Vinte por cento das pessoas que praticam CrossFit desenvolvem lesões, particularmente na coluna, confirma um estudo norte-americano publicado na revista The Orthopaedic Journal of Sports Medicine.

De acordo com Teixeira, "As lesões mais comuns correm nas articulações dos ombros, que estão sujeitas a uma sobrecarga significativa, sobretudo nos exercícios de estabilização e força, e na lombar. O especialista destaca que as lesões são causadas pelo CrossFit em si, mas pela forma errada de executar os movimentos mais intensos.

Outro estudo do Journal of Strength and Conditioning Research, do Reino Unido, demonstrou que três quartos dos atletas que praticam CrossFit desenvolvem lesões no ombro e na coluna. Além disso, também foram apontados casos de rabdomiólise, uma condição grave que consiste na degradação músculo-esquelética.