Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Pela sua saúde, deixe de tomar tantos banhos

Estudo do Dia

Será que andamos a tomar banhos a mais? Algumas teorias defendem que sim e que é importante reduzir o uso de produtos químicos na pele

Nos dias que correm, a ideia de não tomarmos um banho diariamente pode parecer estranha e, para alguns, sinónimo de pouca higiene. Mas este esforço por permanecermos limpos e cheirosos todos os dias pode não ser, necessariamente, algo saudável.

Donnachadh McCarthy diz, num artigo que escreve para o The Guardian, que tomar um banho por semana tem consequências positivas não só em termos de saúde como também é uma opção mais económica e amiga do ambiente. E faz as contas: se um duche de 10 minutos significa um consumo de cerca de 60 litros de água, uma família de quatro pessoas gastará, num ano, entre 400 e 1200 libras, dependendo do tipo de chuveiro.

A somar a este consumo de água e ao gasto em termos monetários, o britânico diz ainda que uma família com um "power-shower", um chuveiro de pressão, emite, por ano, 3,5 toneladas de dióxido de carbono, ficando muito próximo do limite recomendado de uma tonelada por pessoa, por ano – não contando sequer com os transportes.Tudo isto contribuiu para a decisão de tomar banho apenas uma vez por semana, lavando apenas as partes íntimas diariamente.

Em termos de saúde, alguns médicos acreditam que tomar um duche diariamente, utilizando sabonetes com químicos, é mau para a pele. É o caso do Casey Carlos, professor de dermatologia da Universidade da Califórnia, que explicou ao Today.com que o sabão retira os óleos da pele, secando-a. "As pessoas não percebem que a pele faz um ótimo trabalho, limpando-se a si mesma", referiu.

Ranella Hirsch e Joshua Zeichner, também ambos dermatologistas, acreditam que tomamos banhos a mais e que o fazemos por questões sociais. Em entrevista ao BuzzFeed, os médicos referiram que tomar demasiados banhos, especialmente em água quente, pode fazer com que a pele fique seca e irritada. Para além disso, uma boa parte das bactérias que existem na pele e que são muito importantes em termos imunitários são retiradas nestes banhos.

Relativamente a estas bactérias, os dermatologistas aconselham os pais a não darem banho diariamente aos bebés e às crianças porque "a exposição precoce à sujidade e às bactérias pode tornar a pele menos sensível à medida que envelhece e pode prevenir alergias e doenças como o eczema".

Quando seca e lascada, a pele fica mais vulnerável e suscetível a problemas de saúde, revelou um estudo realizado por Elaine Larson, da Universidade de Califórnia. É verdade que o banho pode retirar o mau cheiro provocado pelo suor, mas não é tão eficiente na eliminação de bactérias perigosas como se pensa. Se a ideia é proteger-nos de algumas doenças, Elaine Larson refere que lavar as mãos regularmente, provavelmente, é mais adequado.

Portanto, em termos de saúde, qual é a frequência ideal de banhos? Brandon Mitchell, da Universidade de George Washington, disse à revista Time que o corpo humano é uma máquina "bem oleada" e que, portanto, um banho diário não é algo necessário.

Vicente Alonso Usero, da Academia Espanhola de Dermatologia e Venereologia, diz que a frequência se deve adequar a cada pessoa. Há que ter alguns fatores em conta, como a atividade física e o clima ou estação do ano em que nos encontramos. Mas, para o médico, a virtude está em encontrar o meio termo.

Para além disso, nem todas as zonas do corpo precisam do mesmo tipo de atenção. Nas zonas mais sensíveis, como os genitais, as axilas, os pés e as mãos, deve ter-se mais cuidado, mas nas outras "a água pode ser suficiente", explica à ABC. Atenção também ao sabão e à temperatura da água: opte pelos neutros e não utilize água muito quente (mais tarde, vai agradecer).