Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Dieta mediterrânea pode prevenir que o cérebro encolha na velhice

Estudo do Dia

DR

Estudo escocês mostrou que os idosos que seguiram uma dieta mediterrânea mantiveram um maior volume cerebral em três anos, do que aqueles que seguiram outro tipo de dietas

Boas notícias para quem segue uma dieta mediterrânea! Ao comer frutas, legumes e peixe frescos, azeite, pão, massas e arroz, tal como dita esta dieta, está a prevenir que o volume do seu cérebro diminua quando envelhecer.

Um novo estudo, publicado na revista Neurology, analisou a associação entre a perda de volume de massa cerebral e a dieta mediterrânea de mais de 400 pessoas, com cerca de 70 anos, durante um período de três anos.

Os resultados mostraram que aquelas que seguiram uma dieta mediterrânea mantiveram um maior volume cerebral significativo após três anos, do que aquelas que tinham regimes e hábitos alimentares diferentes.

Quando envelhecemos, o cérebro tende a encolher e a perder algumas células cerebrais, afetando possivelmente a memória e a capacidade de aprendizagem. A dieta que seguimos pode ter impacto não apenas na nossa saúde física, como também na nossa saúde mental.

Segundo estas descobertas, "a dieta mediterrânea pode ter um impacto positivo na saúde do cérebro", referiu Michelle Luciano, uma das investigadoras da University of Edinburgh, de acordo com a BBC.

Além disso, os resultados não mostraram variações quando outros fatores – como a idade, a educação ou doenças como a diabetes ou alta pressão arterial – eram colocados na balança. Curiosamente, contrariando algumas descobertas anteriores, a maior ingestão de peixe e menor de carne não foi associada a diferenças no cérebro.