Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Casa onde nasceu Hitler vai ser demolida

Atualidade

  • 333

© Dominic Ebenbichler / Reuters

O Ministro do Interior austríaco anunciou a decisão e garantiu que o edifício que será construído naquele lugar vai eliminar qualquer associação ao ditador nazi

Adolf Hitler nasceu a 20 de abril de 1889, numa casa amarela, em Braunau am Inn, uma cidade na altura pertencente à união austro-húngara. Atualmente, essa localidade pertence à Áustria e fica junto à fronteira com a Alemanha. A habitação de três andares, para além de ter sido o local onde a família Hitler morava, era também uma casa de hóspedes.

Desde a Segunda Guerra Mundial, muitas pessoas têm visitado o local, mas a casa nunca se tornou um lugar de turismo. O Governo da Áustria alugou-a, durante mais de 40 anos, para tentar prevenir que se tornasse num local de culto nazi. Já foi uma escola, uma livraria e, mais recentemente, um centro de acolhimento a pessoas deficientes.

Gerlinde Pommer, uma parente da família que construiu a casa, é a proprietária da habitação que está desabitada desde 2011. A partir daí, saía dos bolsos do Governo cerca de 4 800 euros por mês em renda. Pommer e o Governo estavam numa batalha legal, por não terem conseguido chegar a acordo sobre a casa - a proprietária recusava vendê-la.

Wolfgang Sobotka, Ministro do Interior da Áustria, anunciou a resolução do problema: a casa vai ser demolida. O resultado foi conseguido através de um projeto de lei de exportação do proprietário. Vai ser construída uma nova casa, arquitetonicamente muito diferente, para evitar associações simbólicas, como recomendou a comissão criada pelo Governo para estudar este assunto.

O assunto dividiu opiniões. Em 2015, Andreas Maislinger, um historiador do Serviço Austríaco de Memória do Holocausto, disse não acreditar que demolir fosse a solução. No entanto, referiu: "Se casa está vazia, torna-se perigosa."

Em 1989, cem anos depois do nascimento de Hitler, foi colocada uma pedra em frente à casa, em memória das vítimas do holocausto. Na inscrição pode ler-se: "Pela paz, liberdade e democracia. O fascismo nunca mais. Milhões de mortos nos lembram."