Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Saber ouvir é meio caminho andado!

Fórum

  • 333

Rescaldo da entrevista da TVI ao nosso 1º Ministro!Opinião dada a 30-11-12, mas que não foi publicada na data. (Foi assunto mediático durante uma semana!)

Qual terá sido a audiência a esta entrevista da TVI?

Qual será a percentagem dos comentadores oficiais e particulares que se dispuseram a perder uns minutos do seu tempo para poderem depois comentar o que foi tentado responder às perguntas dos notáveis entrevistadores!

A agência noticiosa "Lusa" a debater-se com um corte de 30% do seu orçamento, comprende-se que não tenha destacado pessoal suficiente ou não tenha meios técnicos para gravar a dita entrevista, para assim podê-la resumir, com um pouco mais de imparcialidade!

Ex.:

"O primeiro-ministro defendeu hoje que a reforma do Estado tem de rever as despesas com pensões, saúde e educação e considerou que neste último setor há margem constitucional para um maior financiamento por parte dos cidadãos." -Lusa

Não ouvi essa afirmação...

 Em seguimento da resposta como seriam optidos os "4 mil milhões" com os cortes nas despesas sociais!

Na tentativa explicativa, foi dito que em virtude da despesa do Estado serem cerca de 70%, ("metade da despesa do Estado, sem juros, são prestações sociais, ou seja, segurança social, saúde e educação" e que os salários e despesas com pessoal representam uma fatia de cerca de 20%."),  é nestes setores, disse, que se estão estudando, com a ajuda das instituições europeias, a melhor forma de adaptar os serviços para a obtenção de maior desempenho com o menor custo...

Estes cortes deveriam obter o maior consenso entre todos, mas devido á recusa do PS, o Governo, apresentará à Troika em fevereiro, conforme imposição do memorando, as suas próprias propostas, com a salvaguarda, das mesmas serem objeto de discução entre os parceiros sociais e partidos da oposição, podendo as mesmas serem alteradas se melhores soluções forem apresentadas!

 "Nível de impostos "insustentável", mas sem fim à vista -Lusa"

Neste mundo e nesta Europa em constante mudança, quem de boa fé pode fazer "FUTUROLOGIA", já basta a que é feita por todos os comentadores, salvo raras excepções, mas com caris políticamente partidarisado e fortemente NEGATIVO, para opiniões dessas é melhor recorrer aos profissionais da astrologia!



Não quero ocupar mais espaço!

A opinião com que fiquei depois de atentamente assistir à entrevista, é que temos um Primeiro ministro, que está fazendo o melhor que pode, seguindo a sua linha com firmeza, atacando os privilégios adquiridos de muitos e procurando salvaguardar os mais desprotegidos (90% dos pensionistas) e todos aqueles que auferem menos de 600Eu, que infelizmente são a grande maioria dos trabalhadores portugueses...

Sempre foi minha opinião que a crise propalada por todos os lados, é na carne, sentida pelos desempregados, o resto é só mais ou menos dinheiro e esse é o menor mal, quando se pede a ajuda de todos os que podem, para tentar tirar o nosso País, na situação insustentável em que nos encontramos!

Deixemo-nos de demagogias oportunistas que não nos levam a lado nenhum... Somos respeitados na Europa pelo trabalho do Governo, começemos a dar valor às pequenas conquistas, levantemos a nossa moral, não nos deixemos influenciar pelos profetas da desgraça... Como já disse alguém, deixem trabalhar, quem tem a responsabilidade, democrática para o fazer, e na altura certa sem FUTUROLOGIA, saibamos com o nosso voto sancionar, todo o trabalho e metas alcançadas ou não!