Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

A propósito do documento de candidatura de Seguro a SG do PS e a 1º Ministro

Fórum

  • 333

Exitei em escrever ... mas vou fazê-lo!

Pertenço àquele quase milhão de eleitores portugueses que oscila entre o centro direita e o centro esquerda quando chamado a votar para as legislativas ... e que redundantemente, mais ano menos ano, se sente enganado por quem escolheu no seu último voto! Mas que com a vivência que os meus cabelos brancos já impõem, nas últimas não fui enganado! LI e RELI O PROGRAMA ELEITORAL DO PSD e lá descobri os tiques do ultra-liberalismo com que nos presentearam! Por isso votei PS e defendi a manutenção de Sócrates até ao dia das eleições ... ainda hoje re-lembro o célebre debate frente-a-frente entre ele e PC ... Quem mais mentiu nesse debate, pergunto? E re-lembro certos pseudo-comentadores políticos que tudo fizeram para venderem a ideia que PC tinha ganho o debate... Mas isto são histórias passadas ( ou não? ). Agora vamos ao que interessa. Ao contrário seguramente da maioria dos comentadores políticos e pseudo-políticos deste País acabei de ler na íntegra o programa de Seguro ao próximo Congresso do PS - durou cerca de uma hora, mas julgo que estou habilitado para o comentar...

1º - Era evitável tantos erros de Português ... em certas páginas não existe acordo ortográfico ... noutras existe. Dá a ideia que algumas foram "coladas"... fica mal. ...

2º - É talvez dos vários programas que li, em termos de programa de Governo, já que este o é também, o mais bem elaborado em termos de eficácia ... é curto, é incisivo qb para quem deve atacar, é de leitura fácil, e revela que tem o "dedo" de quem todos sabem de quem falo...



3º - Está bem estruturado ( não fora o apontado no 1º ponto ), apresenta, finalmente, o pensamento concreto do PS sobre vários temas ... o que vai levar que muitos políticos da área do Governo começem a estudar ... porque a Universidade de Verão já ocorreu há vários anos ...

4º - Fundamentalmente, afirma uma teoria claramente Keynesiana, contra o ultra-liberalismo deste governo ... e é claro nessa postura.



5º - Falta elaborar uma dialética mais de acordo com a ileteracia que é infelizmente apanágio da nossa sociedade - é preciso procurar uma linguagem ainda mais simples para explicar o que o PS defende.



Agora ataquem-me ... porque este governo deu-me umas costas largas para defender-me dos seus indefectíveis ...

E nem vou responder a ataques tipo Sócrates fugiu:

Porque quem fugiu primeiro foi Durão Barroso, ok!

Nem do tipo Cavaco Silva é o melhor: Os portugueses responderam-lhe neste último mês em termos de sondagens ... não se livra de estar ligado ao polvo BPN, não se livra de estar ligado às primeiras obras tipo "elefante branco" em Portugal, não se livra de ter criado o "monstro da função pública" ao incentivar as primeiras reformas antecipadas e ainda com pagamento na hora de vários anos de desconto ... 

Para os mais incautos nestes comentários ... que não leêm e só vociferam asneiras ... vou esclarecer mais algo ...

Trata-se da tradução de um artigo de Paul Krugman ( Nobel da Economia em 2008) na revista Crescer (da Globo ), cujo número não deve ter chegado a casa do Ministro Relvas ( pena porque a poderia ter lido à sombra de um qualquer coqueiro do calceirão da Avenida Copacabana ) ... Mas diz Krugman, filosofando ou economizando, sobre aquilo que classifica como a maior disputa na história do pensamento económico: "Quando Friedman iniciou a carreira, a contra-reforma do keynesianismo estava madura. Agora, o Mundo precisa de uma contra-contra-reforma."

Infelizmente isto passou ao lado de Relvas e de Passos Coelho, para já não falar dos atrasados (mentais?) Gaspar e Álvaro! A "globalização" passou por eles qual "caterpillar" que os espezinhou, mas que infelizmente ainda os deixou a "esperniar ..."

É que, como diz Krugman, o nosso País está a precisar de uma contra-contra-reforma e essa está seguramente do lado do PS ... e este documento é bem elucidativo disso ... É preciso é explicá-lo bem aos Portugueses, até porque Krugman escreveu o que escreveu antes de 2008 ...

Agora já começam a entender algo disto...?