No segundo dia do julgamento, na terça-feira, Harold McElhinny, advogado da Apple, afirmou perante um tribunal federal de San Jose que o gigante sul-coreano começou a copiar o iPhone desde a sua apresentação pública, em janeiro de 2007.

"No momento em que [o co-fundador da Apple, Steve] Jobs, apresentou o iPhone, ele preveniu os seus concorrentes que tinha adquirido patentes de mais de 200 invenções [contidas] no iPhone", afirmou o advogado.