A dinâmica cidade de Colónia, banhada pelo rio Reno, serviu de 'palco' à apresentação internacional do novo Chevrolet Cruze SW, a versão carrinha daquele que é o modelo da marca com mais sucesso a nível internacional. Num primeiro contacto visual, ainda em pleno aeroporto desta cidade alemã, fica a certeza de que estamos perante um automóvel concebido a pensar na família, com um bom espaço interior e várias soluções para a arrumação de objetos. Na parte dianteira, mantém-se o design das versões sédan e hatchback com a grelha de duas entradas e o logótipo da marca ao centro. Apenas o para-choques foi alvo de melhoramentos, com a integração das luzes de nevoeiro em orifícios de estilo renovado, que lhe conferem um estilo mais desportivo. Já na traseira, a carroçaria é totalmente nova, mas mantendo a identidade da marca. Há cores para todos os gostos e várias opções a nível de jantes, em aço ou liga leve, de 16 ou 17 polegadas. Uma novidade são as jantes pretas, para quem gosta de um estilo mais 'racing'.

Já a caminho do Kloster Marienthal, por estradas que permitem vários estilos de condução, o Cruze SW revela uma boa dinâmica e maneabilidade. A posição de condução é bastante agradável, mais baixa do que é usual numa carrinha, e o habitáculo apresenta um estilo moderno, com o duplo cockpit típico da Chevrolet e um painel de controlo funcional e intuitivo. Os níveis de equipamento médio e superior incluem um ecrã tátil de sete polegadas, integrado na consola central. A nível de acabamentos, estarão disponíveis vários tipos de materiais para o revestimento de tablier e portas e poderemos optar entre dois tipos de tecidos para os bancos ou, para um maior conforto, por bancos em couro aquecidos. 

Para além do sistema de navegação e da câmara retrovisora, o ecrã tátil a cores de sete polegadas serve de base ao sistema de informação e entretenimento MyLink da Chevrolet, que estará disponível a partir deste verão, e permite a total integração com qualquer smartphone. Com este novo sistema todas as funcionalidades do seu telefone ficam disponíveis no ecrã, desde o diretório de contactos à lista de temas musicais ou galerias de fotografias.

A carrinha Cruze é espaçosa, tanto para os ocupantes como para a carga. Com a configuração normal, a bagageira apresenta uma capacidade de 500 litros até à linha dos vidros. Com os bancos traseiros rebatidos a capacidade da bagageira aumenta para 1470 litros até ao tejadilho. Entre os vários espaços disponíveis para arrumação, destaque para uma gaveta com três compartimentos entre as costas dos bancos traseiros e o compartimento para recolha da cobertura da bagageira.  Entre os acessórios disponíveis podemos encontrar redes de carga, uma caixa organizadora de carga com paredes divisórias flexíveis ou uma caixa para o tejadilho.

Falando agora de motores, o Chevrolet Cruze SW estará disponível com duas motorizações Diesel e três a gasolina. Durante este primeiro contacto tivemos oportunidade de conduzir as duas versões a gasóleo: 2.0 com 163 cv e 1.7 com 130 cv. Este último, equipado com sistema Start/Stop de série e com um consumo combinado na ordem dos 4,5 l/100 km, parece reunir os atributos necessários para ser uma excelente opção para o mercado português. 

Em relação aos motores a gasolina, a nova unidade turbo 1.4 de 140 cv e consumo combinado de 5,7 l/100 Km/h vem juntar-se aos já conhecidos motores 1.6 e 1.8. Para além da caixa manual de cinco e seis velocidades, as motorizações mais potentes poderão vir equipadas com caixa de velocidades automática.

O novo Chevrolet Cruze SW chega a Portugal no próximo mês de setembro e, por enquanto, a marca prefere não revelar preços.