Luanda, 19 ago (Lusa) - O porta-voz da Conferência Episcopal da Igreja Católica de Angola disse à Lusa que a "alternância não é uma coisa que deve dar medo" e que as eleições são um "ato normal" e devem ser encaradas dessa maneira.

"A Igreja sempre se bateu por este ato. Deve ser um ato normal na vida de qualquer povo, na vida de qualquer nação e é por isso que nós damos o nosso apoio, a nossa valorização para que os cidadãos angolanos não vejam nisto um bicho-de-sete-cabeças", disse à Lusa José Manuel Imbamba, arcebispo de Saurimo e porta-voz da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST).

As eleições gerais de 31 de agosto devem antes ser a expressão da vontade dos angolanos "em se comprometerem na construção de um país", afirmou: "Um país que todos desejamos, que todos nós sonhamos, em que nos sintamos úteis", considerou.