Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Aventura Creoula [2]: Basta juntar água

Aventura Creoula: 20 dias no mar

  • 333

Juntos vamos fazer crescer Portugal... Crónicas do fotojornalista Paulo Maria a bordo do Creoula

Triagem, identificação de espécies e catalogação de amostras, no convés do Creoula.
1 / 18

Triagem, identificação de espécies e catalogação de amostras, no convés do Creoula.

Triagem, registo e catalogação de amostras no convés do Creoula.
2 / 18

Triagem, registo e catalogação de amostras no convés do Creoula.

Pôr do sol visto através da rede do grupés da prova do Creoula.
3 / 18

Pôr do sol visto através da rede do grupés da prova do Creoula.

Pôr do sol ao largo da costa algarvia.
4 / 18

Pôr do sol ao largo da costa algarvia.

Pôr do sol ao largo da costa algarvia junto às ilhas da Armona e da Culatra.
5 / 18

Pôr do sol ao largo da costa algarvia junto às ilhas da Armona e da Culatra.

Raspagem de biodiversidade marinha, para amostra, que estava incrustada numa boia.
6 / 18

Raspagem de biodiversidade marinha, para amostra, que estava incrustada numa boia.

A bióloga Mónica Albuquerque dedica-se a recolher pequenos crustáceos e lesmas-do-mar de um aglomerado de mexilhões.
7 / 18

A bióloga Mónica Albuquerque dedica-se a recolher pequenos crustáceos e lesmas-do-mar de um aglomerado de mexilhões.

Paulo Maria dedica-se à microscopia fotográfica.
8 / 18

Paulo Maria dedica-se à microscopia fotográfica.

Momento de triagem de amostras a bordo do Creoula.
9 / 18

Momento de triagem de amostras a bordo do Creoula.

A biblioteca do Creoula transformada em laboratório e estúdio de micro fotografia.
10 / 18

A biblioteca do Creoula transformada em laboratório e estúdio de micro fotografia.

As brânquias expostas caracterizam os nudibrânquios.
11 / 18

As brânquias expostas caracterizam os nudibrânquios.

O detalhe de uma Anémona (Alicia mirabilis).
12 / 18

O detalhe de uma Anémona (Alicia mirabilis).

A Estrela do Mar (Astropecten sp.) mostra todo o esplendor dos seus detalhes dorsais.
13 / 18

A Estrela do Mar (Astropecten sp.) mostra todo o esplendor dos seus detalhes dorsais.

A beleza e a explosão de cor são caracteristicas indissociáveis das Anémonas Joia (Corynactis Viridis). As paredes rochosas do mar do algarve albergam colónias numerosas desta espécie.
14 / 18

A beleza e a explosão de cor são caracteristicas indissociáveis das Anémonas Joia (Corynactis Viridis). As paredes rochosas do mar do algarve albergam colónias numerosas desta espécie.

Um minúsculo nudibrânquio, com apenas 1,5cm, explora uma esponja amarela.
15 / 18

Um minúsculo nudibrânquio, com apenas 1,5cm, explora uma esponja amarela.

As Gorgónias são corais abundantes na costa algarvia. As suas ramificações são complexas.
16 / 18

As Gorgónias são corais abundantes na costa algarvia. As suas ramificações são complexas.

Este bivalve (Lima lima) surpreende pela exuberância do seu interior e o seu cifão cor-de-rosa serve para a captura de alimento.
17 / 18

Este bivalve (Lima lima) surpreende pela exuberância do seu interior e o seu cifão cor-de-rosa serve para a captura de alimento.

Os nudibrânquios subdividem-se em inúmeras formas, cores e padrões.
18 / 18

Os nudibrânquios subdividem-se em inúmeras formas, cores e padrões.

A Estrutura de missão para a extensão da plataforma continental, criada em 2004,  tem o intuito de estudar e apresentar uma proposta para o aumento do território sobre a jurisdição exclusiva nacional, em particular sobre o mar português.

Pela primeira vez na história, alcançou-se uma concertação pacífica, baseada em leis conjuntas entre países costeiros. Congregando estudos sobre o conhecimento marítimo de cada nação que reúna uma proposta sustentada, os países  poderão ver os seus mapas renovados para além das suas zonas exclusivas em mais cento e cinquenta milhas náuticas para alem das duzentas milhas da zona económica exclusiva.

Até 2015, data provável em que seja ratificada e aprovada nas Nações Unidas a ambição de Portugal conquistar mais mar no século XXI, serão feitos esforços políticos e científicos no sentido de credibilizar e expandir esse desejo geoestratégico. Estamos perante uma era de conquista diplomática sustentada pela ciência.

Bem longe da época em que partir por mar para conhecer e conquistar era sempre uma epopeia incerta, muitas vezes inglória. O que diria o Infante D. Henrique sobre esta fórmula política e estratégica de alargamento do território, também ela carregada de aventura sobre o conhecimento?   As campanhas marítimas M@rBis surgem como pontas de lança nesta estratégia global. Através de operações criadas para estudantes, cientistas, biólogos e todos aqueles que desenvolvam projetos, tendo por base o enriquecimento sobre a biodiversidade e os recursos marinhos, criando uma plataforma de trabalho prático sobre o mar.

São selecionados estudos e equipas a participar em expedições marítimas, tendo por base o navio de treino de mar Creoula, transformado em laboratório e centro de mergulho para todos estes investigadores durante alguns dias por ano.

Dando continuidade às campanhas realizadas nos anos anteriores: Ilhas Selvagens (2010), no ano seguinte a prospeção continuou no arquipélago da Madeira, ilhas Desertas e Porto Santo, terminando nos Açores junto ao ilhéu das Formigas e em Santa Maria.

Em 2012 a expedição concentrou os seus trabalhos nas Berlengas. Este ano as baterias estão apontadas ao conhecimento profundo da biodiversidade da costa algarvia em toda a sua extensão.

Desde os fundos arenosos, aos recifes artificiais e parques submarinos, ao longo de vinte dias, toda a área da orla costeira do Algarve, de Vila Real de Santo António a Sagres será estudada, com o crivo da ciência.

Realizar-se-ão censos às comunidades de peixes e cetáceos, serão recolhidas amostras de espécies, mapear-se-á o leito marinho, tudo realizado por quem melhor do que ninguém está ávido de conhecimento e descoberta de novas espécies para a ciência: mergulhadores e descobridores modernos.

Se cruzarmos toda a informação recolhida, facilmente percebemos que Portugal é detentor de um autêntico tesouro marinho. Considerado como projeto de interesse nacional, a estrutura e as campanhas M@rBis são uma plataforma de excelência para a criação de um sistema de informação.

Se pensarmos no interesse comercial direto perceberemos que o setor das pescas beneficiará do conhecimento e localização das espécies existentes. No campo da medicina e farmacêutica há um enorme interesse pelos recursos marinhos vivos, veja-se o exemplo de alguns compostos bioquímicos sintetizados por esponjas: uns usados num medicamento de combate ao herpes, e outros no tratamento do VIH.

Segundo Frederico Dias, o coordenador do projeto M@rBis, a campanha atualmente a decorrer nos mares do Algarve poderá ser vista pelo seguinte prisma:

"De forma geral e concreta, sobre a biodiversidade marinha nacional, queremos saber o que há e onde existe, só assim poderemos gerar um conhecimento profundo criando um sistema de informação marinha georreferenciada das águas nacionais bastante completo. Paralelamente a este projeto estaremos aptos a fundamentar de forma consistente todas as novas áreas marinhas que deverão ser protegidas ao abrigo da Rede Natura 2000. O Algarve reúne as condições ideais para o enriquecimento da nossa missão. Até hoje os estudos realizados por universidades e associações nacionais realizaram estudos específicos e localizados sobre vários temas. É nosso objetivo prático congregar todos os estudos, queremos desenvolver um conhecimento profundo sobre os recifes artificiais e os ecossistemas que aí se regeneram, por exemplo. Informação vital para o setor das pescas."

"Temos uma grande e diversificada área de atuação. Esta é uma zona de confluência do mediterrâneo e o atlântico, queremos identificar o maior número de espécies e certamente descobriremos algumas, novas para a ciência. O "Creoula" é um ícone da marinha portuguesa, reúne boas condições para albergar toda esta grande família da ciência. No total somos 82 pessoas a trabalhar para um fim comum, o que é muito gratificante de coordenar. Consideramos a guarnição parte da equipa científica, todos contribuem de forma muito positiva para o sucesso da nossa Missão". Concluiu o chefe da missão, ao mesmo tempo que observa as novas amostras trazidas de mais um mergulho de prospeção.