Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

2,1 mil milhões de euro por ano, extra, para as pescas se a UE votar pela recuperação dos stocks de peixe

WWF

  • 333

Brian J. Skerry/National Geographic Stock/WWF

Numa pesquisa, encomendada pela WWF, e realizada pela Framian BV, um pioneiro exame dos potenciais benefícios sociais e económicos do sector das pescas a partir da perspectiva da UE, forneceu fortes argumentos para uma ambiciosa reforma das pescas Europeias, que se encontra neste momento em revisão. 

WWF

Ajudar os stocks de peixe a voltarem a níveis saudáveis e sustentáveis resultaria num aumento dos lucros no sector pesqueiro e consequentemente no rendimento dos pescadores, de acordo com um novo estudo independente intitulado 'Benefícios socio-económicos duma corajosa reforma das pescas na UE' que foi lançado ontem.

Se os políticos votarem a favor de uma forte reforma das pescas na UE, e com a adequada implementação, que permita recuperar os stocks em apenas 10 anos, em 2022, começaremos a ver grandes benefícios que podem ir desde aumento das pescas da UE num total de 2,8 milhões de toneladas extra de peixe colhido de forma sustentável - um aumento de aproximadamente 80%, ou conseguir através da UE, que as receitas dos pescadores subam até 50% em média, relativamente a hoje.

'As pescas na UE têm potencial para ser muito produtivas. A oferta estável de peixe a longo prazo é possível mas apenas se os recursos pesqueiros forem geridos de forma sustentavel. Este é o momento para colocar no devido sítio as estruturas políticas e financeiras e por um término à bancarrota dos oceanos", afirma Tony Long, Director do WWF European Policy Office. 

Em 2012, observámos sinais positivos nos stocks e nos lucros, mas estes reflectem apenas esforços significativos em determinados processos pesqueiros que se mantém apenas como excepções, em vez de regra. 

Nos últimos 15 anos, as pescas na UE têm estado em contínuo declínio. As empresas e o emprego têm diminuído a uma taxa constante de 4% ao ano e as receitas dos pescadores estagnaram. O documento desenha algumas conclusões sombrias para o futuro, se o status quo continuar sem uma forte reforma nas pescas, em 2022:

 

  • Os pescadores da UE irão pescar menos 1,4 milhões de toneladas de peixe comparativamente com 2009 - aproximadamente menos 10%;
  • As frotas pesqueiras da UE poderão diminuir até 20%.

 

WWF- World Wide Fund For Nature (Formerly World Wildlife Fund)

50.000 pescadores perderão os seus empregos (em toda a EU) - o que corresponde a uma quebra de 30%, comparativamente com 2009

"As pescas na UE estão perto do precipício da bancarrota. Os Ministros das Pescas e o Parlamento Europeu precisam estar atentos à chamada de atenção de milhares de consumidores e empresas em toda a Europa que querem ver um futuro próspero para os stocks de peixe, para a nossa indústria pesqueira e para os nossos oceanos. Os nossos políticos têm a oportunidade e o poder para reformar a Política de Pescas Comum", conclui Tony Long.

A WWF está a desenvolver uma campanha online ("Parem a Bancarrota dos Nossos  Oceanos") para conseguir, junto dos membros do Parlamento Europeu (MPEs) que se sentam no Comité de Pescas e que desempenham um papel chave na decisão sobre o futuro das nossas pescas que ocorre já no final de Novembro. 

Após décadas de fraca gestão por parte dos Ministérios com a alçada das pescas, eles têm a oportunidade, pela primeira vez, de garantir uma reforma progressiva da Política de Pescas Comum e garantir um futuro próspero aos stocks de peixe e, em consequência, para o sector pesqueiro.

A 28 de Novembro, o Comité de Pescas do Parlamento Europeu vai decidir e votar sobre o futuro dos oceanos. 

Envie uma mensagem para os MPEs e diga-lhes "Parem a Bancarrota dos Nossos Oceanos": www.wwf.eu/stopbankrupting