Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Linha de alta tensão põe em causa classificação do Douro como Património da Humanidade

Energia

  • 333

Lucília Monteiro

A linha de alta tensão Foz Tua - Armamar é criticada pelo partido Os Verdes por ameaçar a classificação do Douro como Património da Humanidade. O próprio Estudo de Impacto Ambiental e o secretismo à sua volta são também criticados.

O partido Os Verdes afirmou hoje que os impactos "negativos e inegáveis" da linha de muito alta tensão Foz Tua - Armamar "podem pôr em causa a classificação" do Alto Douro Vinhateiro como Património da Humanidade.

Em conferência de imprensa, Manuela Cunha, da comissão executiva de Os Verdes, afirmou, no Porto, que o partido "deu um parecer negativo à Linha Foz Tua - Armamar 400 KV", apresentado no âmbito da consulta pública do Estudo de Impacte Ambiental (EIA) do projeto, por entender que a linha "tem impactos negativos inegáveis que vão agravar as ameaças que pesam sobre a classificação".

"Há uma descaracterização profunda da paisagem. Ora, a classificação desta paisagem, e o reconhecimento do seu valor, foi dada a Portugal pelo seu caráter genuíno", disse.

Num comunicado de 25 de janeiro, que pode ser lido no site do partido, os ecologistas criticaram a ação do Ministério do Ambiente (MA), responsável pelo estudo público, por considerarem que o MA "tudo fez para que fosse o mais discreta possível, dificultando o acesso aos documentos do EIA e inibindo a participação pública".

No mesmo comunicado, elaborado antes do término do estudo de Impacto Ambiental, Os Verdes consideram não restar "dúvidas que toda esta "discrição" visa (...) evitar que a Unesco tome conhecimento dos impactos óbvios" que a Linha de Alta Tensão provoque na região reconhecida como Património da Humanidade.