Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

E do lixo se faz mobiliário, candeeiros, sandálias, bolsas, carteiras...

Cidades e Consumo

  • 333

ReMix, Garbags e Tela Bags são três empresas que usam o lixo como matéria prima. Reaproveitam materiais e criam peças novas, cheias de design e utilidade

REMIX - Banco. Criação de Susana António. €70.
1 / 20

REMIX - Banco. Criação de Susana António. €70.

REMIX - Tabuleiro. Criação de André Calado. €30.
2 / 20

REMIX - Tabuleiro. Criação de André Calado. €30.

REMIX - Fruteira. Criação de Susana António. €25.
3 / 20

REMIX - Fruteira. Criação de Susana António. €25.

REMIX - TIPI. Criação de Amarilis Dias, André Guerreiro e Catarina Mouta. €8/3 unidades.
4 / 20

REMIX - TIPI. Criação de Amarilis Dias, André Guerreiro e Catarina Mouta. €8/3 unidades.

REMIX - Candeeiro Divali. criação de Ana Neves e Patrícia Geraldes. €45.
5 / 20

REMIX - Candeeiro Divali. criação de Ana Neves e Patrícia Geraldes. €45.

REMIX - Mesa. Criação de André Calado. €50.
6 / 20

REMIX - Mesa. Criação de André Calado. €50.

REMIX - Candeeiro em Polipropileno. Criação de Ana Relvão. €35.
7 / 20

REMIX - Candeeiro em Polipropileno. Criação de Ana Relvão. €35.

REMIX - Lancheira. Criação de Susana António. €12.
8 / 20

REMIX - Lancheira. Criação de Susana António. €12.

GARBAGS - Mala para bicicleta. €75.
9 / 20

GARBAGS - Mala para bicicleta. €75.

GARBAGS - Bolsa para computador. €55 .
10 / 20

GARBAGS - Bolsa para computador. €55 .

GARBAGS - Bolsas várias. €25.
11 / 20

GARBAGS - Bolsas várias. €25.

GARBAGS - Carteira para documentos. €35.
12 / 20

GARBAGS - Carteira para documentos. €35.

GARBAGS - Sandálias. €65.
13 / 20

GARBAGS - Sandálias. €65.

GARBAGS - Protecção de garrafa. €35.
14 / 20

GARBAGS - Protecção de garrafa. €35.

TELABAGS - Capa para caderno/agenda. €15
15 / 20

TELABAGS - Capa para caderno/agenda. €15

TELABAGS - Camões. €49.
16 / 20

TELABAGS - Camões. €49.

TELABAGS - Pessoa. €38.
17 / 20

TELABAGS - Pessoa. €38.

CTELABAGS - Marylin. €45.
18 / 20

CTELABAGS - Marylin. €45.

TELABAGS - Chanel. €39.
19 / 20

TELABAGS - Chanel. €39.

TELABAGS - Capa iPad. €47.
20 / 20

TELABAGS - Capa iPad. €47.

De restos de lápis se fazem passarinhos, de teclados antigos anéis e botões de punho, de cápsulas de café saem brincos e pregadeiras. A reciclagem está na moda e recomenda-se. Três projetos mostram que há vida para além do ecoponto

1 - ReMix

É mais do que uma empresa. É um projeto social, de onde saem postos de trabalho, ações de sensibilização ambiental e ainda dois catálogos de objetos feitos exclusivamente a partir de desperdício. ReMix faz pontes entre as preocupações ambientais e as sociais, através do design, ligando designers conceituados e grandes empresas a pequenas oficinas de bairro (por enquanto apenas uma, a do Bairro do Armador, em Chelas, mas em breve noutras freguesias de Marvila, e em Loures e Cascais).

E é assim que Cristiana se mete à máquina de costura para transformar desperdícios de pele da indústria da estofagem em Tipis (pequenos vasos), imaginados na Universidade de Aveiro. E é lá que António (carpinteiro desempregado há 20 anos) e Joaquim (biscateiro de profissão) transformam pratos partidos em fruteiras ou restos de mobiliário em bancos ultra modernos. É lá, numa pequena oficina de Chelas, que se transformam garrafas de água em "casas" para pássaros ou mangas de camisa em candeeiros. É para lá que é canalizado o lixo que até há pouco tempo era atirado, sem pudor, para as ruas do bairro.

O projeto tem o apoio da Câmara de Lisboa e parcerias criadas com muitas instituições (Gulbenkian, Serralves, Experimenta Design, para citar algumas) mas começa a ter pernas para andar sozinho.

www.projectoremix.com

 

2 - Garbags

Pacotes de café, comida para animais, leite, sumos, batatas fritas e detergentes, entre outros desperdícios, são a matéria-prima que a garbags transforma em acessórios de moda ecológicos e divertidos malas, carteiras, estojos, porta-moedas, sandálias ou cintos.

O projeto nasceu há três anos, em Lisboa, pelas mãos de Tânia Anselmo, baseado na vontade de contribuir para uma maior sustentabilidade através da reutilização de resíduos. E com um objetivo muito claro.

"Inspirar os portugueses e também os muitos estrangeiros que visitam o atelier/loja a pensar nos desperdícios que geram diariamente e a olhá-los de maneira diferente", explica a fundadora. Um olhar que nos faz sonhar, sorrir, agir e descobrir como é que se transforma um pacote de café numa mala, um tubo de pasta dos dentes num estojo, um cabo elétrico num colar ou até produtos orgânicos, como uma carteira de moedas feita de casca de laranja.

Os desperdícios utilizados pela garbags são recolhidos por Tânia e pela equipa que participa no projeto nas suas casas, mas também entre amigos e familiares, cafés, bares e restaurantes, doados por pessoas ou pelos chamados ecoparceiros. "O selo verde que atribuímos é apenas uma forma de reconhecimento da consciência ambiental e que serve para mostrar a abrangência do nosso projeto. Das laranjas vindas de um café aos fatos de surf, passando pela marca sueca de comida para animais ou pela marca portuguesa de gelados, até aos desperdícios de uma exposição de pintura dos quais resultou uma coleção mais artística", exemplifica Tânia.

Na garbags, todo o trabalho é feito por voluntários recolha, limpeza, armazenamento, corte e costura. Só o design das peças é da responsabilidade de Tânia que, da formação em engenharia do ambiente, ficou a capacidade de olhar uma embalagem e criar algo bonito aos olhos. "Fazer uma mala a partir, por exemplo, de uma lona publicitária, é fácil porque é semelhante a aplicar um molde em cima de um tecido. Mas criar algo a partir de uma embalagem requer alguns conhecimentos", explica Tânia. O resto é bom gosto, noção de cores... "Até agora, tenho tido sucesso", diz a rir.

O atelier e loja da garbags, na Rua do Salvador, junto ao Castelo de S. Jorge, é uma porta aberta a todos os que queiram conhecer e participar do projeto, por isso "estão todos convidados a vir até cá", remata Tânia.

CURIOSIDADE: Desde 2009, a Garbags já reutilizou 28 456 pacotes de café, 21 450 pacotes de leite e de sumo, 575 tubos de pasta de dentes, 1265 cápsulas de café e 2350 embalagens de plástico. Isto equivale, aproximadamente, a 33 metros cúbicos de embalagens - o tamanho de um camião grande o suficiente para transportar toda a mobília de um apartamento de três quartos. 

R. do Salvador, 56 Lisboa T. 21 240 8442 Seg-sáb 11h-19h www.garbags.eu

 

3 - Tela Bags

Aos seis anos, idade em que uma criança entra para a escola para aprender a contar e a escrever, já a Tela Bags expunha o seu trabalho no Museu do Design e da Moda, em Lisboa. Bastaram-lhe seis anos para se destacar na transformação do "trash" (lixo) em "trend" (tendência). E foi mesmo este o nome da exposição no MUDE, em 2012: from trash to trend.

Tudo começou em 2006, perante a perspetiva de mandar para o lixo as grandes telas promocionais do primeiro Rock in Rio Lisboa. Num golpe de asa, das telas se fizeram sacos e carteiras de várias cores e feitios. Hoje, a Tela Bags já recicla posters de exposições, folhetos e catálogos, velas de kitesurf, estofos de carros e até o linóleo que cobre o chão das cozinhas. Tudo tratado, cortado, cosido e reinventado em objetos de design ou merchandising (carteirinhas, capa para blocos ou iPad, porta documentos, pufes ou individuais).

Uma ideia que vai dando os seus passos numa pequena fábrica portuguesa mas que, depois da Europa, já conquistou os Estados Unidos e o Japão.

www.telabags.net