"Aterrámos na Síria. Estava cheio de soldados e tivemos de baixar as cortinas.(A tripulação) perguntou se os passageiros podiam contribuir para [pagar] o combustível e, depois, resolveram o problema", relatou à AFP Najub, um empresário de 42 anos.

A Air France desviou na quarta-feita este voo com destino a Beirute, no Líbano, para o Chipre por precaução, devido a problemas na pista do aeroporto Rafik Hariri, na capital libanesa.