Pouco se sabe sobre a sexualidade dos portugueses. Tirando as piadas brejeiras e o mito do "macho latino", quase tudo o resto são segredos de alcova.

Um inquérito feito pela farmacêutica Lilly em 13 países, que a VISÃO divulga em primeira mão na edição impressa desta semana, devolve uma imagem animadora: sexo espontâneo, com uma taxa de "comparência" de duas vezes por semana põe os portugueses em primeiro lugar. Haja alguma coisa!


O inquérito foi feito online - "O que convém neste tipo de estudos, porque no cara a cara as pessoas só contam os sucessos", nota Maria do Céu Santo, 56 anos, ginecologista, especializada em sexualidade. E os participantes portugueses - mil de cada país, homens e mulheres com mais de 33 anos - têm a média de idades mais baixa. "É normal que num grupo etário jovem a frequência sexual semanal seja mais elevada. A partir dos 50 anos há uma acentuada baixa da testosterona", reforça a médica. Mesmo assim, são boas notícias, defende. "Noutros estudos semelhantes, também aparecíamos no topo da tabela."


Segundo este inquérito, mais de metade dos portugueses têm relações sexuais pelo menos duas vezes por semana, enquanto 1,4 é a média mundial. Ao lado de Portugal, ficam o México e a Roménia - talvez porque não foram inquiridos brasileiros, italianos, franceses e espanhóis... No fim da tabela, surgem os dinamarquesas e os sul-coreanos, com metade da frequência: uma vez por semana.

Conheça os hábitos dos portugueses e os números da sexualidade na Europa na revista VISÃO desta semana.