Graças às equações de Shouryya Ray, será possível, a partir de agora, calcular com exatidão a trajetória de um projétil afetado pela gravidade e pela resistência do ar - o problema proposto por Isaac Newton - e também calcular os seus efeitos numa parede.

O adolescente indiano chegou a Dresden, na Alemanha, há quatro anos, sem falar uma palavra em alemão. Em pouco tempo, os professores da escola secundária que frequenta deram conta da sua "inteligência extraordinária" e permitiram-lhe saltar dois anos. 

Em parte graças ao pai, um engenheiro que o desafiava com problemas aritméticos, Ray era capaz de resolver equações complexas ainda antes de completar 10 anos. 

Foi durante uma visita à Universidade de Dresden que o jovem tomou contacto com os enigmas propostos por Newton, descritos pelos professores como "irresolúveis". Ao jornal The Sunday Times, Shouryya Ray explicou que deicidiu "por curiosidade e ingenuidade" procurar resolvê-los.