Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

O mundo aos quadradinhos no Amadora BD

Ver

Na 30ª edição do festival de Banda Desenhada, celebram-se os 80 anos de Batman e o legado de Stan Lee. Há ainda homenagens a autores nacionais, sessões de autógrafos e oficinas. O Amadora BD está de portas abertas até domingo, 3

O programa do Amadora BD faz-se também de números redondos, como o 80º aniversário de Batman

O programa do Amadora BD faz-se também de números redondos, como o 80º aniversário de Batman

Foi uma história difícil de montar. “O espólio é imenso, só vamos poder mostrar uma pequena parte”, diz Lígia Macedo, a nova diretora-executiva do Amadora BD, sobre a exposição dedicada a Vasco Granja. No ano em que se assinalam dez anos da sua morte, o festival destaca a sua importância na divulgação da banda desenhada e do cinema de animação em Portugal. Produzida em conjunto com a família, inclui fotografias (muitas), desenhos originais de Hugo Pratt, Hergé, Will Eisner, Al Williamson, entre tantos outros, e autógrafos de mestres da BD. “Ele pegava numa folha A3, dobrava-a ao meio, e pedia autógrafos de um lado e do outro. Foi difícil escolher.”

Para a exposição sobre "Sonho" foi criada uma cenografia que reproduz o universo do livro de ilustração de Susa Monteiro

Para a exposição sobre "Sonho" foi criada uma cenografia que reproduz o universo do livro de ilustração de Susa Monteiro

O Amadora BD que começa nesta quinta-feira, 24, completa este ano 30 edições, sempre organizadas pela Câmara Municipal da Amadora, com mudanças na direção e no modelo de programação. Lígia Macedo substituiu Nelson Dona e o festival será, agora, mais breve (dez dias em vez de 17), não terá um tema central e todas as exposições se concentram no Fórum Luís de Camões. Entre estas, está Stan LeeO Mito e as Criações, dedicada ao editor e autor norte-americano, “pai” da Marvel, que morreu em 2018 e 80º Aniversário de Batman, a evocar histórias e momentos icónicos desse super-herói. O espanhol Alfonso Font vai ao Amadora BD, a propósito da retrospetiva que lhe é dedicada, mas a grande aposta centra-se nos autores portugueses. Jorge Coelho, que assina a imagem gráfica do Amadora BD, terá uma exposição individual, e Geraldes Lino, figura central na divulgação da BD nacional, que morreu este ano, será homenageado por amigos através de bandas desenhadas onde a sua figura aparece caricaturada.

A presença de editoras (e destaque-se o lançamento do novo livro de Corto Maltese, a 1 de novembro), a par das sessões de autógrafos são sempre apetecíveis, e este ano essas zonas foram alargadas. Entre os autores com presença confirmada estão Marjolaine Leray e Susa Monteiro (autoras com exposições de ilustração no festival, pensadas para crianças), Rubén Pellejero, Miguel Mendonça, Keko, Peter Snejbjerg e Tommi Musturi, entre outros. Até 3 de novembro haverá, ainda, oficinas para todas as idades sobre animação, novela gráfica e álbuns ilustrados.

Na Praça Central, através da aplicação Realidade Aumentada, vai ser possível espreitar para dentro (e descobrir os segredos) de 12 dos 30 cartazes que foram imagem do Amadora BD

Na Praça Central, através da aplicação Realidade Aumentada, vai ser possível espreitar para dentro (e descobrir os segredos) de 12 dos 30 cartazes que foram imagem do Amadora BD

Amadora BD > Fórum Luís de Camões > R. Luís Vaz de Camões, Brandoa, Amadora > T. 21 476 0206 > 24 out-3 nov, seg-qua 9h-20h, qui-sex 9h-22h, sáb 10h-22h, dom 10h-20h > €3, estudantes e mais de 65 anos €2, até 12 anos grátis, passe €10