Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Cinco razões para não perder o CineEco, festival de cinema dedicado ao Ambiente - e é grátis

Ver

O CineEco assinala os 25 anos com 80 filmes em competição, de 20 países, e uma mensagem: é preciso mudar hábitos para salvar o Planeta. Cinco destaques no Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela que começa neste sábado, 12, em Seia

O Herói das Ovelhas, de Ton van Zantvoort (Holanda), secção Competição Internacional Longas
1 / 8

O Herói das Ovelhas, de Ton van Zantvoort (Holanda), secção Competição Internacional Longas

Genesis 2.0, de Christian Frei e Maxim Arbugaev (Suiça), secção Competição Internacional Longas
2 / 8

Genesis 2.0, de Christian Frei e Maxim Arbugaev (Suiça), secção Competição Internacional Longas

Amazónia, o Despertar da Florestânia, de Christiane Torloni e Miguel Przewodowski (Brasil), Competição de Longas de Língua Portuguesa
3 / 8

Amazónia, o Despertar da Florestânia, de Christiane Torloni e Miguel Przewodowski (Brasil), Competição de Longas de Língua Portuguesa

Além do Clima, de Ian Mauro (Canadá), Competição de Documentários e Reportagens para Televisão
4 / 8

Além do Clima, de Ian Mauro (Canadá), Competição de Documentários e Reportagens para Televisão

As Chamas do Paraíso, de Jean Froment (França), Competição de Documentários e Reportagens para Televisão
5 / 8

As Chamas do Paraíso, de Jean Froment (França), Competição de Documentários e Reportagens para Televisão

Curta Metragem - O Documentário, de Gabriel dos Santos Ambrósio (Portugal), Competição Panorama Regional
6 / 8

Curta Metragem - O Documentário, de Gabriel dos Santos Ambrósio (Portugal), Competição Panorama Regional

Pagar a Promessa, de Tiago Cerveira (Portugal), Competição Panorama Regional
7 / 8

Pagar a Promessa, de Tiago Cerveira (Portugal), Competição Panorama Regional

Aquametragem, de Marina Lobo (Portugal), Competição Internacional de Curtas
8 / 8

Aquametragem, de Marina Lobo (Portugal), Competição Internacional de Curtas

1. Os 25 anos do festival

Único em Portugal, o CineEco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela é também um dos mais antigos festivais de cinema ambiental do mundo (nasceu em 1995). Muito terá mudado neste panorama ao longo dos últimos 25 anos. Para o provar, estará o filme evocativo dos 25 anos (exibido neste sábado, 12, às 21h), na sessão oficial de abertura, na Casa da Cultura de Seia, seguido do cine-concerto O Dia em que o Mar Voltou, de Miguel Gizzas. Nesta edição comemorativa, reforçaram-se as atividades paralelas, entre as quais, os workshops, o Concerto de Olhos Vendados, com Luís Antero (16 out, 16h), e as EcoTalks, conversas sobre ambiente. "Além de ser um festival, o CineEco é um movimento que procura alterar hábitos, para que não fique tudo na mesma", resume Mário Branquinho, mentor e organizador, desde o primeiro ano.

2. Filmes em competição

Nesta edição de aniversário, estão 80 filmes a concurso (selecionados de 600 propostas), de 20 países, como Portugal, França, Espanha, Holanda, Áustria e Estados Unidos, sobre questões ambientais e de emergência climática, refletindo “sobre o impacto da ação do Homem na terra”, salienta Mário Branquinho. Curiosamente, nota o organizador, o Brasil “que era um dos mais participativos”, teve, este ano, uma “adesão substancialmente menor”. Desta edição, fazem parte a Competição Internacional Longas, a Competição de Documentários e Reportagens para Televisão, a Competição Internacional Curtas, a Competição Longas Língua Portuguesa, a Competição Curtas Língua Portuguesa, a Competição Panorama Regional de Língua Portuguesa e as Sessões Especiais (Extra Competição).

3. Longas em competição

Entre os 80 filmes a concurso, destacam-se as longas-metragens internacionais em competição, como os espanhóis Sonhando um Lugar (13 out, dom 18h) e Terras Frias (17 out, qui 18h), os suíços Genesis 2.0 (14 out, seg 21h30) e Walden (15 out, ter 21h30); o alemão Reactor Perdido (15 out, ter 18h), o norte-americano Injustiça (16 out, qua 21h30), os franceses O Geógrafo e a Ilha (18 out, sex 18h) e O Homem Comeu a Terra (18 out, sex 21h30); o austríaco Estás Dormindo Irmão Jacob? (14 out, seg 18h), e o holandês O Herói das Ovelhas (17 out, qui 21h30). Nas longas de língua portuguesa são exibidos os filmes Hálito Azul, de Rodrigo Areias (14 out, seg 15h30), Amazónia, o Despertar da Florestânia, de Christiane Torloni e Miguel Przewodowski (15 out, ter 15h30), Understory, de Margarida Cardoso (17 out, qui 10h30) e Alva, de Ico Costa (18 out, sex 10h).

4. Os filmes do Panorama Regional

A secção Panorama Regional “é uma forma de dar oportunidade a realizadores locais de apresentarem os seus projetos, abordando questões ligadas à região Centro”, resume Mário Branquinho. Dos filmes, exibidos nos dias 17 e 18, constam: Pagar a Promessa, de Tiago Cerveira (18 out, sex 15h30); Wildlings, de Lynn Mylou, Tiago Cerveira e Rodrigo Oliveira (18 out, sex 15h30); Filme Sonoro, de Luís Antero (17 out, qui 15h30); Histórias do Contrabando – a Gíria de Quadrazais, de Paulo Vinhas Moreira (17 out, qui 15h30); e A Ribeira a Gostar dela Própria, de Tiago Pereira (17 out, qui 15h30).

5. Um fórum para pensar o ambiente

O CISE – Centro de Interpretação da Serra da Estrela recebe, neste sábado, 12, a partir das 9h30, o II Fórum Internacional de Festivais de Cinema de Ambiente, que reúne cineastas, documentaristas, ativistas, diretores de festivais de cinema ambiental do mundo, para falar sobre “a educação territorial e ambiental através do cinema, a emergência climática e o papel das novas gerações nas alterações do clima”. Entre os participantes no Fórum (de entrada livre), está o fotógrafo e ativista norte-americano Timothy Bouldry - que viaja pelo mundo a fotografar lixeiras e a colecionar histórias sobre os recolectores de lixo -, a documentarista e jornalista Bárbara Veiga, autora do livro 7 Anos, em 7 Mares, e, entre outros, Paula Sobral, presidente da Associação Portuguesa de Lixo Marinho.

25º Cine Eco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela > Casa Municipal da Cultura de Seia > Av. Luís de Camões, 484, Seia > CISE – Centro de Interpretação da Serra da Estrela > R. Visconde de Molelos, Seia > 12-19 out > grátis