Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

O maravilhoso mundo das marionetas regressa ao Porto

Ver

Com espectáculos que nos convidam a olhar e a pensar o futuro, fruto das inquietações dos artistas presentes, a 29ª edição do FIMP - Festival Internacional de Marionetas do Porto, é um ‘caso sério’. Ainda que capaz de nos fazer sorrir, a partir deste sábado, dia 13

Os 30 anos do Teatro de Marionetas do Porto são assinalados com a reposição de "Frágil"

Os 30 anos do Teatro de Marionetas do Porto são assinalados com a reposição de "Frágil"

Susana Neves

Há espetáculos de todos os formatos e escalas a dialogar com o público de forma muito distinta. Os intimistas, como Cosas que se Olvidam Facilmente, de Xavier Bobés, manipulando pequenos objetos carregados de memórias perante uma plateia de cinco pessoas. E as grandes produções, como Sans Objet, de Aurélien Bory, elucidativa do que se pode fazer quando há meios disponíveis, com um braço robótico industrial a manipular a reflexão sobre as relações entre o Homem e a máquina. “Interessa-nos a coexistência de objetos muito diferentes, ter um festival com grandes pesos e artistas que estão a dar os primeiros passos”, sublinha Igor Gandra, o diretor artístico do Festival Internacional de Marionetas do Porto (FIMP). No programa, distinguem-se duas linhas temáticas mais fortes, “com peças que nos convidam a contemplar o futuro e a pensar sobre as possibilidades em aberto”, salienta Igor, e “outras em que o público é convidado a olhar para a tradição e a revisitar certas metodologias”.

"Sweet Home, without a Fit of Conscience" será um dos espetáculos apresentados pelo Théâtre de La Licorne

"Sweet Home, without a Fit of Conscience" será um dos espetáculos apresentados pelo Théâtre de La Licorne

Christophe Loiseau

A 29ª edição do festival assinala os 30 anos do Teatro de Marionetas do Porto com a reposição de Frágil, a última peça com a mão do mestre João Paulo Seara Cardoso, e a estreia absoluta de Quem Sou Eu?, um projeto com a comunidade da zona oriental da cidade, dirigido por Isabel Barros. Outra companhia portuense ligada a este universo, a Limite Zero, comemora igualmente uma data redonda, 15 anos de atividade, e estreia Pequeno Cabaret ao Amanhecer, que explora a tradicional ligação entre as marionetas e os espetáculos de cabaret. Também em estreia está Fogo Lento, de Costanza Givone, o espetáculo vencedor da Bolsa de Criação Isabel Alves Costa (a fundadora do FIMP), um questionamento dos hábitos culinários quotidianos à volta de uma banca de cozinha. Saúde-se ainda o regresso ao Porto do Théâtre de La Licorne, com duas espécies de teatros de bolso: Sweet Home, without a Fit of Conscience, com um rigoroso e intenso trabalho de máscara da atriz Rita Tchenko; e Macbêtes, the Tragic Nights, uma versão bem-humorada da peça maldita de Shakespeare.

"Sans Objet", de Aurélien Bory, subirá ao palco do Teatro Municipal Rivoli

"Sans Objet", de Aurélien Bory, subirá ao palco do Teatro Municipal Rivoli

Aglae Bory

Festival Internacional de Marionetas do Porto > Teatros municipais do Porto, TeCA, Mosteiro S. Bento da Vitória, J.F. Ramalde, Metro do Porto e Teatro de Ferro > Porto > T. 22 332 0419 > 13-20 out > grátis a €10; €35 (passe)