Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Serralves em Festa: Celebração sem fronteiras

Ver

Transpor divisões geográficas, artísticas e geracionais é um dos objetivos da 15ª edição do Serralves em Festa, que a partir desta sexta, 1, e até domingo, 3, volta a abrir as portas da fundação durante 50 horas

A música continua a ser uma das áreas fortes do Serralves em Festa que traz ao Porto a norte-americana Jlin

A música continua a ser uma das áreas fortes do Serralves em Festa que traz ao Porto a norte-americana Jlin

22feetTribalWorldWide

Ao longo dos anos, o público do Serralves em Festa habituou-se a vaguear livremente entre os espaços da fundação, saltitando das exposições do museu para os concertos no Prado, ou dos projetos mais experimentais na Casa de Serralves para os espetáculos para toda a família na Clareira das Bétulas. Aos poucos, uma imensa multidão (220 mil pessoas, em 2017) familiarizou-se com estes lugares. Esta ausência de fronteiras continua a marcar, em vários sentidos, as 50 horas ininterruptas daquele que é considerado “o maior acontecimento da cultura contemporânea em Portugal”, nas palavras de Ana Pinho, a presidente do Conselho de Administração. E isto vai ao ponto de até o céu ser ocupado por um balão de ar quente em voo cativo, palco das acrobacias surpreendentes e dramáticas da companhia circense Inextremiste, que apresentará Exit. O circo contemporâneo é, precisamente, uma das áreas reforçadas na programação da 15ª edição, destacando-se ainda o espetáculo Lignes Ouvertes, da funambulista Tatiana-Mosio Bongonga, acompanhada pelo duo português Osso Vaidoso, que atravessará o parterre central do parque.

A música continua a ser uma das áreas fortes do festival, indo desde o pós-punk/industrial/funk dos britânicos 23 Skidoo (banda que nasceu em 1978) ao projeto experimental dos nórdicos FIRE!, do jazz hipnótico do etíope Hailu Mergia aos ritmos eletrónicos complexos de Jlin, dos portugueses Orelha Negra aos projetos arrojados de Mark Fell. Já a programação para crianças contará com espetáculos como o do projeto Mão Verde (de Capicua e Pedro Geraldes) ou o concerto desenhado Qual é o Som da Tua Cara? (de António Jorge Gonçalves e Filipe Raposo). Quanto à dança, refira-se a presença da companhia de Nacera Belaza, que apresentará no auditório Sur le Fil, uma performance “hipnotizante e reflexiva”, levando o corpo dos intérpretes a extremos. E como não podia faltar um bolo ao Serralves em Festa, em Romeu e Julieta, a versão feliz apresentada pelo Teatro Praga, será oferecida uma fatia ao público.

Serralves em Festa > Fundação de Serralves > R. D. João de Castro, 210, Porto > T. 22 615 6584 > 1-3 jun, sex 20h-dom 22h > grátis