Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Lamb: Uma banda à frente do tempo, ao vivo no Porto e em Lisboa

Ver

A dupla britânica termina em Portugal a digressão europeia comemorativa dos 20 anos de carreira. Esta segunda-feira, 13, os Lamb sobem ao palco do Coliseu do Porto e, na terça, 14, atuam no Coliseu dos Recreios, em Lisboa

Em Portugal, os Lamb conseguem ser verdadeiramente transversais em termos de público

Em Portugal, os Lamb conseguem ser verdadeiramente transversais em termos de público

Quando surgiram, em 1996, os Lamb eram assim uma espécie de corpo estranho no universo da pop. Sim, viviam-se os tempos áureos do trip-hop, mas a dupla de Manchester, apesar de ter apanhado a boleia deste movimento musical, surgido alguns anos antes em Bristol, conseguiu criar um universo muito próprio, no qual as linguagens trazidas da música eletrónica pelo produtor Andy Berlow, como o dub e o drum and bass, muito populares à época, coabitavam na perfeição com um lado mais acústico e a voz angelical de Lou Rhodes.

Ingredientes mais que suficientes para que o álbum de estreia homónimo, editado em 1996, fizesse incidir sobre a dupla os holofotes da crítica. Para a história ficaria o single Górecki, inspirado pela terceira sinfonia do compositor polaco Henryk Górecki, mais tarde incluído nas bandas sonoras de filmes como Moulin Rouge ou de jogos eletrónicos como Tomb Raider.

Apesar de todas as expectativas, a carreira do grupo nunca deu salto para lá do estatuto de banda de culto, deixando no entanto para a história discos como Fear of Fours (1999) e What a Sound (2001), o registo que à custa do tema Gabriel os haveria de transformar num verdadeiro fenómeno de popularidade em Portugal, o único país onde viriam a conseguir ser verdadeiramente transversais em termos de público.

Depois de um afastamento, em 2004, Andy e Lou reativaram os Lamb em 2011, tendo resultado, desta nova vida do grupo, mais dois discos de originais, 5 e Backspace Unwind. O que fica no entanto para a história é o arrojo de uma banda à frente do seu tempo, que há 20 anos lançou as pistas para o que a pop se viria a tornar neste novo século. É também esse legado que se pretende celebrar nestes concertos.

Coliseu do Porto > R. Passos Manuel, 137, Porto > T. 22 339 4940 > 13 nov, seg 20h30 > €26 a €34 > Coliseu dos Recreios > R. Portas de Santo Antão, 96, Lisboa > T. 21 324 0580 > 14 nov, ter 20h30 > €26