Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Braga em Risco ou como o outono pode ser ilustrado

Ver

Ver, experimentar e partilhar, na segunda edição do Braga em Risco. O encontro convoca 22 ilustradores para um outono perfeito no Minho. Às personagens de Danuta Wojsciechwoska, Marta Torrão, Mafalda Milhões e Yara Kono juntam-se as histórias de Anna Forlati e uma instalação de parede com mais de mil telas coloridas para ver no Castelo dos Riscos, a partir de sábado, 11

Anna Forlati tece em cada ilustração uma história para ver na exposição 'What Hides Behind?', no Castelo dos Riscos

Anna Forlati tece em cada ilustração uma história para ver na exposição 'What Hides Behind?', no Castelo dos Riscos

Divulgacao

Depois da fotografia dos Encontros da Imagem, a cidade encontra-se com a ilustração. À segunda edição, o Braga em Risco fará o público viajar pela luz de outono, a partir deste sábado, 11. Vinte e três ilustradores, 12 exposições, 40 oficinas para escolas e famílias, cinco apresentações de livros, performances e cinema de animação “agasalham” esta estação na cidade.

Danuta Wojsciechwoska, Marta Torrão, Mafalda Milhões e Yara Kono estão entre os 22 ilustradores que aceitaram “espreitar, tocar e representar” os elementos e a natureza minhota de forma única e pessoal. Na exposição central Braga 22 x 22, os artistas partilham cores, sonhos e histórias. "O panorama vai ficar mais colorido e a cidade vai agasalhar-se com ilustração", brinca Pedro Seromenho, o curador. A este outono ilustrado não faltam as narrativas agitadas pelo vento, o frio e a chuva, claro está, sem deixar de parte os medos e a solidão, bem como o agasalho, o abrigo e a casa refúgio para protagonistas e público.

'Outonalidades' é uma instalação que envolve mil crianças do primeiro ciclo do concelho de Braga

'Outonalidades' é uma instalação que envolve mil crianças do primeiro ciclo do concelho de Braga

Divulgacao

É no Edifício do Castelo, a que Pedro Seromenho carinhosamente chama de “Castelo dos Riscos”, que quase tudo acontece. Se na primeira edição tinha apanhado “o comboio já em andamento”, agora houve tempo para o escritor e ilustrador ver a iniciativa crescer. “Não é um festival nem um concurso, é um encontro de ilustradores que vão às escolas, envolvem-se com a comunidade, fazem atividades no castelo”, diz.

À luz do outono, em Braga, mostra-se, assim, o trabalho de “traço único, pessoal e inconfundível” de 22 ilustradores. Além da exposição central do encontro, Pedro Seromenho dá nota da instalação Outonalidades envolvendo mil crianças do primeiro ciclo. Agrupados em diferentes manchas de cor, os desenhos deram origem a uma tela gigante no Edifício do Castelo.

"A educação pela arte é uma das preocupações do Braga em Risco", diz o escritor e ilustrador Pedro Seromenho

"A educação pela arte é uma das preocupações do Braga em Risco", diz o escritor e ilustrador Pedro Seromenho

Divulgacao

Coloridas são também as mais recentes publicações de ilustradores como a italiana Anna Forlati e os portugueses Paulo Galindo, Ana Biscaia, Marta Torrão e Mafalda Milhões. Para ver também por aqui em exposição, na apresentação de livros ou em oficinas para os mais pequenos. “É um encontro ligado ao livro infantil e gostava que crescesse junto com ele”, reforça o curador.

A partir da exposição no Castelo dos Riscos, surge um programa de atividades paralelas para ver e experimentar no centro histórico da cidade, entre a avenida central e a Casa dos Crivos. Há filmes de animação, oficinas do risco para miúdos, performances para todos darem uma mãozinha e um animado Mercado Riscado, que este sábado, 11, entre as 15 as 18 horas, vai transformar a Rua do Castelo numa galeria viva, onde será possível não só comprar e observar os criadores a trabalhar, como ouvir histórias descomplicadas contadas por um simples risco. Ao sabor deste outono não faltam vendedoras de castanhas e folhas coladas no chão a indicar o caminho de uma tarde em família, cheia de brincadeiras entre linhas e rabiscos.

Braga em Risco > Castelo dos Riscos (núcleo central), Edifício do Castelo > R. do Castelo, Braga > T. 253 203 150 > 11-25 nov, seg-dom 10h30-18h30 > a entrada é livre, mas sujeita a marcação prévia nas oficinas cultura@cm-braga.pt.