Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

O novo ciclo de exposições de Guimarães vem de Serralves

Ver

No seu quinto aniversário, o Centro Internacional das Artes José de Guimarães recebe obras de Fernando Lanhas e da coleção de Ivo Martins, na primeira parceria com a Fundação de Serralves. Para visitar até outubro

'Os Mouros', de Álvaro Lapa (1989), faz parte da coleção de Ivo Martins

'Os Mouros', de Álvaro Lapa (1989), faz parte da coleção de Ivo Martins

Cinco anos depois da abertura, o Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG), em Guimarães, acaba de inaugurar novas exposições, todas elas fruto da primeira parceria com a Fundação de Serralves, no Porto. É, diríamos, uma coincidência feliz.

Por um lado, veremos obras de Fernando Lanhas – o arquiteto, pintor, poeta, paleontólogo, astrónomo falecido em 2012, meses antes da inauguração do CIAJG, ainda durante a Guimarães Capital da Cultura – em diálogo com a coleção permanente de arte africana, pré-colombiana e chinesa antiga de José de Guimarães. “Fernando Lanhas sempre se diversificou, era um homem dos mil ofícios, com uma visão holística”, exalta Nuno Faria, diretor do CIAJG. “Será quase uma provocação, como se tivéssemos um pequeno museu de arte contemporânea aberto durante o verão”, salienta.

Uma das obras de Fernando Lanhas (1984)

Uma das obras de Fernando Lanhas (1984)

Neste novo ciclo expositivo revisita-se ainda um conjunto de obras escultóricas de José de Guimarães, pertencentes à coleção de Serralves e que não eram mostradas ao público desde 2012. É o caso das peças que integraram as intervenções do artista plástico, atualmente com 77 anos, no Museu de Luanda, Angola, em 1968, durante o período angolano, considerado uma das suas épocas mais estimulantes.

Também a coleção de Ivo Martins, que se encontra em depósito no Museu de Serralves, nos apresenta obras relevantes com “diferentes linhas de pensamento”, lembra Nuno Faria, que assume a curadoria da exposição A Arte como Experiência do Real. A mostra “mais extensiva alguma vez feita da coleção” terá obras, entre outros, de Álvaro Lapa, Pedro Casqueiro, Rui Chafes, Pedro Sousa Vieira, António Olaio, Joaquim Bravo e António Palolo.

O Centro Internacional das Artes José de Guimarães, o maior investimento da Capital Europeia da Cultura 2012, financiado, desde há cinco anos, apenas pela autarquia vimaranense, deverá ver anunciado, em breve, o apoio do Estado.

Centro Internacional das Artes José de Guimarães > Plataforma das Artes e da Criatividade, Av. Conde Margaride, 175, Guimarães T. 253 424 715 > ter-dom 10h-13h, 14h-19h > €4 (dom 10h-13h grátis) > Fernando Lanhas – Fragmentos: algumas obras na coleção de Serralves > até 8 out > Coleção Ivo Martins > até 15 out